Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Janeiro, 2006

Conferência Internacional sobre conservação de Tartarugas Marinhas

Fotografia de Pedro Norton de Matos, STP, Novembro 2005 Vai decorrer, entre 30 de Janeiro e 3 de Fevereiro, o I Encontro Internacional sobre conservação de Tartarugas Marinhas em São Tomé e Príncipe. Vai ser uma iniciativa inédita no arquipélago, permitindo a reflexão e o debate, complementados pela realização de ateliers com grupos comunitários em aldeias piscatórias e trabalho de campo com ecoguardas. Em breve darei eco do Encontro.

Prenda Magnífica

É bom recebermos prendas e hoje recebi uma muito especial e absolutamente magnífica. Assim é porque, em primeiro lugar, a pessoa que a ofereceu é um amigo, daqueles com letra GRANDE, que será sempre uma pessoa muito especial. É uma daquelas raras pessoas na vida de quem não guardo segredos e que, por mais tempo que passe sem nos vermos, quando nos encontramos continuamos a falar como se tivéssemos estado juntos na véspera. Em segundo lugar, é uma penda de Natal, e esta é uma época que, só por si, é magnífica. Em terceiro lugar porque o presente é a edição limitada de uma obra que me marcou e com a qual me revi em muitas ocasiões. É um livro que já andara a namorar e com o qual me deliciara: o Equador Ilustrado. Está aqui ao meu lado e não me canso de o abrir e de me surpreender com as imagens dos postais. Simplesmente magnífico. Esta foi uma surpresa mais do que magnífica e uma prenda com um infinito significado! Obrigada, Amigo!

Investimentos em São Tomé e Príncipe

Foi lançado em Portugal um livro da co-autoria de Rute Martins Santos, Kiluange Tiny e N'Gunu Tiny, que resulta na compilação de legislação específica sobre investimentos em São Tomé e Príncipe. O livro intitula-se: “Investimentos em São Tomé e Príncipe - Legislação Básica” e é uma edição daLivraria Almedinae Faculdade de Direito da Universidade Nova

STP na Revista Prémio Viagens

No número de Dezembro da Revista PRÉMIO VIAGENS, que se encontra à venda, o Pedro Norton de Matos escreveu um texto sobre STP. A avaliar pelas fotografias de grande qualidade, que amavelmente tem disponibilizado no link de fotografias do Grupo “Caminhadas e Descoberta em STP”, certamente valerá a pena comprar a revista, ler e sonhar com outras paragens, outros mundos.

Não vou!

Não vou comentar as eleições. Não vou falar de política. Não vou dizer bem de uns e mal de outros. Não quero, não me apetece. Estou irritada. Sei lá eu! Não gosto de política. E fico louca da vida sempre que alguém me acha um ser do outro mundo, extraterrestre quem sabe, por preferir a contemplação de uma paisagem, dos animais e das plantas, ou deixar-me encantar com o sorriso franco de uma criança, que pouco ou nada tem a esconder. A política é incerta, falta, dúbia e cheia de armadilhas. Nunca se sabe o que é certo ou errado, quem está do nosso lado ou contra nós. É difícil, para mim, ter a sensação confortável de saber em quem posso confiar quando se fala em política. A natureza é o que é e as crianças também. Não há nada melhor! E com isto volto a dizer: não vou comentar as eleições! E ponto final sobre o assunto.

Orgulho e Preconceito

Há muito que não ia a ao cinema. E gosto muito de ver um filme no cinema. É um ritual: quando as luzes se apagam, quando as apresentações começam, quando é suposto que todos fiquem em silêncio para respeitar aquele momento único de deleite para os olhos e de sonho para a alma. E ontem fui ao cinema ver um filme simplesmente magnífico: nas interpretações e na realização; na fotografia e no guarda roupa; na adaptação do argumento de Jane Austen. O filme é Orgulho e Preconceito (Pride and Prejudice). A vontade que dá é que o filme não termine, que tenhamos a possibilidade de continuar a viver num clima de romantismo perfeito onde a ternura é a tónica dominante, acompanhada de valores de grande profundidade: a lealdade; a solidariedade; o respeito. Os sentimentos estão implícitos nos diálogos, nos olhares e em todos os gestos, desde os mais explícitos aos mais contidos. O filme é uma ode à amizade, ao amor puro e aos sentimentos verdadeiros que, por serem tão importantes, deliciam e fazem…

Reportagens fotográficas

Pedro Norton de Matos (2005)
Nuno Mendes (2004)
Tiago Grosso (2004)
O link de fotografias do Grupo “Caminhadas e Descoberta em STP” continua a ser actualizado com novos registos, novas perspectivas e novos olhares. Desta vez com reportagens de Tiago Grosso, Nuno Mendes e Pedro Norton de Matos. Registos que deslumbram os olhos, reconfortam a alma e... dão um aperto no coração, pelas saudades que criam. As fotografias são brilhantes, de grande qualidade e resultam de estadias e de vivências pessoais. Não deixem de passar por lá e de divulgar.

Felicidade

Há notícias boas, excelentes, magníficas. Há acontecimentos que nos deixam um sorriso de orelha a orelha e cara de idiota durante umas boas e longas horas. Sentimo-nos levitar, voar para outras paragens com o vento na cara e os cabelos revoltos. É bom quando a vida se organiza e encontramos um caminho onde as pedras estão colocadas nos lugares certos. É “muito magnífico” quando sentimos que fazemos parte de um projecto, no qual temos um lugar bem definido e reconhecido. Finalmente... É motivo para dizer: que se vão as angústias e que dêem lugar aos sonhos realizáveis. Afinal, quem espera sempre alcança!!!

encontros e afastamentos

E, de repente, sem sabermos como, ou por que leque de razões, algumas pessoas deixam de nos aparecer e, com a mais tranquila das simplicidades, damo-nos conta de que perdemos todo o tipo de contacto com essas figuras que, em determinada altura, foram tão importantes nas nossas vidas. Deixamos de nos encontrar, porque ou eles definiram outras prioridades e urgências ou nós acabámos por nos orientar de outra forma. Sem percebermos porquê, em certas circunstâncias, a vida une as pessoas, acabando por separá-las, noutros contextos. E o afastamento não é apenas físico porque, com o tempo, avança para a esfera do subconsciente, tornando-se também evidente durante os sonhos, quando o inconsciente toma conta de nós, conduzindo-nos para locais e encontros involuntários. Um dia, sem querermos pensar muito, acabamos por perceber que o afastamento se deu e procuramos identificar as razões, mas a maioria das vezes não chegamos a encontrá-las...

Livro de Encantações

Lançamento da obra “Livro de Encantações”, da autoria de Ana Mafalda Leite, no próximo dia 27 de Janeiro pelas 18h30, na Biblioteca Orlando Ribeiro, antigo Solar da Nora (metro: Telheiras; autocarros 47, 67, 78). A apresentação será feita por Ana Paula Tavares e Celina Pereira cantará um poema.

As minhas apresentações

Os slides estão... LINDOOOOOOS!!! Normalmente, o esforço resulta em compensação. Esta parte do trabalho está preparadíssima. Duas comunicações: dia 27 de Janeiro (Jornadas da ASPEA) e 31 de Janeiro (Encontro Internacional sobre conservação de tartarugas marinhas). Aqui ficam as capas para a posteridade... porque mais não posso revelar... E, agora que esta parte está pronta, vou passar para outras paragens!

Memórias

Gosto de trabalhar ao som de música porque me vai embalando e levando, de forma suave ou nostálgica, até ao resultado desejado. Há músicas que são, para mim, tão inspiradoras que têm a fabulosa capacidade de, além de serem bonitas, rentabilizarem o meu trabalho. Uma delas é o Memory do Andrew Lloyd Webber, que relata a história de Grizabella, a gata glamorosa do CATS, musical também magnífico que é sempre bom relembrar. Acabei de ouvir uma excelente interpretação que passou agora na rádio e o meu coração voou para outras paragens, através dos registos da memória. Desta vez não de uma gata glamorosa mas da minha...

Contemplação em final de tarde

Ao observar o bando de pássaros que voa, dançando numa coreografia bem organizada e cheia de sensibilidade, dou comigo a pensar que gostava de poder voar e contemplar mais de perto o céu, o horizonte, as árvores, os animais terrestres e até os Homens. A perspectiva dos pássaros é magnífica e privilegiada. Depois, e enquanto animo apresentações em powerpoint sobre educação ambiental em África, oiço um cão vizinho, que tem por dono um veterinário onde eu naturalmente nunca levaria um animal meu, num lamento tão sofrido que faz bradar os céus, tirando a paciência aos mais tolerantes. Como é possível que um animal emita sons confrangedores e tão sentidos. Ai... já falei com ele várias vezes: com o cão, porque o dono só pode ser uma pessoa intratável. Ao ouvir-me, cala-se, porque o que quer é companhia, mas quando regresso, recomeça na lamúria de quem se sente sozinho e abandonado numa fria tarde de sábado. O mar, lá ao longe, está tranquilo, denso e escuro, contrastando com um céu, que po…

Pessoas diferentes

Há pessoas que merecem tudo de bom, o melhor que há, a realização de todos os sonhos, a possibilidade de alcançar todos os desejos, as melhores sensações e as emoções mais perfeitas, o imaginável e o impossível de prever no que à felicidade diz respeito. Aparentemente são pessoas como nós, mas nas mais pequenas acções revelam-se "Pessoas Extraordinárias", diferentes de qualquer outra. Inimitáveis. Inigualáveis. Incomparáveis. Pessoas destas há poucas e eu tive a sorte de ter nascido numa família com pessoas assim. Obrigada...!

É a vida

De vez em quando, e para variar um pouco da rotina tranquila do dia a dia, a vida torna-se numa tremenda complicação que parece não ter fim. É temporário e passageiro porque, se fosse sempre assim, certamente teria a sensação de viver em estado de loucura permanente, o que seria no mínimo muito pouco agradável. E contudo, viver é muito bom. Há mesmo quem diga que são estas complicações que dão colorido e paladar aos outros momentos mais tranquilos. Para ser franca, preferia viver a um ritmo mais estável, mas esta é a vida que tenho. Vá-se lá saber porquê. Um dia, quando estiver tranquila, ainda hei-de reflectir sobre os porquês.

Venturas e desventuras do meu Bogas

O meu Bogas está velhote e, nem por isso, gosto menos dele. Há carros assim, que nos marcam e com os quais ganhamos afectividade, humanizando-os um pouco. O meu Bogas tem-se portado bem e não me tem dado grandes problemas até à data. Há uns dias começou a fazer um barulhinho muito pouco simpático que eu, não percebendo nada de mecânica, achava que era simplesmente o tubo de escape roto. Não me preocupei muito, sabendo que tinha de lhe tratar daquela ferida, da qual ele se tinha começado a queixar. Mas como não pensei que fosse nada de grave, deixei a coisa andar um dia, e mais outro, e outro mais... conclusão, ontem, pela manhã, ia na A5 a caminho de Lisboa, porque tinha um dia de reuniões importantes e, como quase sempre nestes dias, qualquer coisa aconteceu. Ouvi um barulho, como que de uma peça a cair, parei de imediato na berma, fui ver e... lá estava o tubo no chão. Brilhante, pensei. Saí vesti o coletinho verde, como cidadã cívica, e fui colocar o triângulo a uma distância que p…

Congresso LusoAfroBrasileiro de Ciências Sociais

IX CONGRESSO LUSO-AFRO-BRASILEIRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS
LEMA: CIÊNCIAS SOCIAIS E OS DESAFIOS DAS SOCIEDADES EM DESENVOLVIMENTO
TEMA: DINÂMICAS, MUDANÇAS E DESENVOLVIMENTO NO SÉCULO XXI
ANGOLA, LUANDA, 28, 29 e 30 DE NOVEMBRO, 2006

Sob o Lema «Ciências Sociais e os Desafios das Sociedades em Desenvolvimento», a comunidade académica angolana tem o prazer de anunciar a realização do IX Congresso Luso-Afro-Brasileiro de Ciências Sociais em Angola, na cidade de Luanda, de 28 a 30 de Novembro de 2006.
O tema seleccionado para o IX Congresso Luso-Afro-Brasileiro de Ciências Sociais é: Dinâmicas, Mudanças e Desenvolvimento no Século XXI. A Organização do evento espera atrair a participação de mais de 1000 cientistas sociais provenientes de diferentes disciplinas das Ciências Sociais e Humanas de vários países de língua oficial portuguesa.
O Congresso Luso-Afro-Brasileiro de Ciências Sociais é um encontro bienal que reúne cientistas sociais dos países de língua oficial portuguesa (Portugal, Brasil, C…

Saudades de África, ou Nostaláfrica IV

Há uns dias alguém fazia este comentário a um post, em que eu tentava fazer um breve balanço: “Esta persistente sua saudade de África é natural ou adquirida? Pergunto, porque também sofro (?) dela.”. Eu prometi responder mas não tinha ainda encontrado tempo e espaço para o fazer de forma reflectida qb e sobretudo tranquila. Hoje também não me sobra muito tempo mas ganhei uma infinita vontade, talvez por estar com o pensamento em África por variadíssimas razões, entre as quais o trabalho que estou a desenvolver, e que é simplesmente MAGNÍFICO!!! E pelos tempos que se aproximam, de viagens e de muito trabalho em África, muito compensador do ponto de vista profissional e também pessoal.
Sinto nostalgia de África, é verdade, uma saudade dos muitos momentos de prazer, de lazer, da alegria implícita à maioria dos novos conhecimentos, da ternura e de outras emoções, umas contidas, outras retraídas e muitas exteriorizadas. Sinto vontade de repescar nos cantinhos da memória todos os momentos, a…

A surpresa do Eugénio

O amigoEugénio fez uma surpresa e divulgou o "Encontro Internacional sobre conservação das Tartarugas Marinhas", que terá lugar em São Tomé e Príncipe, o magnífico país onde todos os sonhos são possíveis, no final deste mês de Janeiro. Mais do que a simples divulgação com texto, apresentou o evento com esta a lindíssima imagem. O voo da tartaruga. Haverá alguma coisa mais bonita? A divulgação está aqui, de onde também a foto foi retirada por empréstimo...O meu agradecimento público a mais este amigo

Protecção da Tartaruga Marinha

Há uma coisa que me alegra e muito! A divulgação do ”I Encontro Internacional sobre a conservação das Tartarugas Marinhas”, que se realiza entre 30 de Janeiro e 3 de Fevereiro, está a correr bem: têm aparecido notícias em muitos jornais digitais: Notícias Lusófonas; Expresso África; Jornal.st; Jornal da Ciência. Vai ser um evento inédito e de grande importância para a preservação ambiental e a protecção de uma espécie animal muito antiga, com características próprias e que procura viver em paz: a tartaruga marinha.Há muito trabalho de sensibilização pela frente e a necessidade urgente de se encontrarem alternativas para os que, até hoje, têm feito da captura, consumo, transformação e comercialização desta espécie e seus derivados, um modo de vida.

O prolapso

Ter um prolapso pode resultar num divertimento ou numa tremenda chatice! Tem dias, como tantas outras coisas. Passo a explicar as duas possibilidades ou perspectivas de o encarar. É um divertimento sempre que, sem qualquer motivo, o coração arranca de forma acelerada para abrandar logo de seguida, dando a engraçada sensação de se viver, de forma ininterrupta, intensamente e a 1000 à hora, uma existência de emoções fortes. Qual amor, qual paixão, qual entusiasmos fortuito. Para que servem todos eles quando se tem um coração que pula em constante agitação? Não há paixão que dê uma sensação tão sequencial de batidas com ritmos diferenciados. Pode ser magnífica a sensação de se viver acompanhado, não só por um anisakis (ou serão vários???) mas também por um simpático prolapso, que jamais nos abandona ou nos deixa ter a desagradável noção de estarmos sós. Com um prolapso, a companhia é permanente e a ideia de estarmos a viver fortes emoções também. Pode ser uma alegria!Mas também pode ser …

Sobre os sonhos

A Helena do DIGITALIS tem uma sucessão de posts sonhadores, com imagem e poema, que são fantásticos. Às vezes também me sinto um pouco assim. Uma sonhadora solitária!

Uma conversa deliciosa

- Gi, quero brincar contigo!
- Brincar agora...?! Mas eu tenho de trabalhar... agora não posso. Brincamos depois, está bem? Olha, porque não vais ver o Canal Panda, ou o filme do Gato, ou o do Pato?
- Porque eu quero brincar contigo! Vamos brincar ao karaté...
- Ao karaté? Vais dar cabo de mim outra vez... e eu tenho de trabalhar...
- Mas oh Gi, tens sempre de trabalhar... porque é que não começas logo de manhã?

Switch off

Há dias em que apetece pensar e a nostalgia aparece e outros em que a nostalgia aparece sem querermos pensar. Há dias em que apetece apagar o pensamento, fazer switch off, desligar o botão, e ficar simplesmente assim. Sem pensar, sem sentir, sem querer. Apenas gozar a tranquilidade e afastar qualquer resquício de nostalgia que nos pudesse, mesmo hipoteticamente, atormentar a alma, a paciência e amarfanhar o coração. Como se fizéssemos um “chega pra lá” no que já não queremos mais. Mas para isso seria necessário que nos deixassem. Verdade?

"Dar música" ou dizer "Eu sei que eu tenho um jeito meio estúpido de ser"

É bom ouvir alguém cantar para nós qualquer coisa com significado. É sentido? Talvez não! Mas quem canta não se importa com isso por estar certo de ser convincente. Dá vontade de dizer "não me dês música!", mas a única coisa que sai é um sorriso envergonhado. Há uma primeira vez para tudo, não é mesmo? Eu sei que eu tenho um jeito
Meio estúpido de ser
E de dizer coisas que podem
Magoar e te ofender
Mas cada um tem o seu jeito
Todo próprio de amar
E de se defender
Você me acusa e só me preocupa
Agrava mais e mais a minha culpa
E eu faço e desfaço, contrafeito
O meu defeito é te amar demais.
Palavras são palavras
E a gente nem percebe
O que disse sem querer
E o que deixou pra depois
Mas o importante é perceber
Que a nossa vida em comum
Depende só e unicamente de nós dois
Eu tento achar um jeito pra explicar
Você bem que podia me aceitar
Eu sei que eu tenho um jeito meio estúpido de ser
Mas é assim que eu sei te amar.
Roberto Carlos
Afinal, hoje é 6ª feira! E há quem diga que todos os Santos merece…

O "Rei Amador"

Há quem não goste de ouvir falar na história (estória?) do “Rei Amador” por ter sido transformado em herói nacional. Representa um símbolo para o povo santomense e é um elemento reforçador de identidades. Há quem grite e barafuste que não é mais do que um produto colonial. Até pode ser, mas enquanto se vai acreditando que efectivamente existiu, algures no final do século XVI (1595), ganha-se a força que o dia-a-dia tantas vezes retira. O “Rei Amador” é como o Dom Sebastião português. É um símbolo de esperança no reencontro, a certeza que um dia, quem sabe e sabe-se lá quando, a mudança será possível. É um sinal de força e de luta, do reconhecimento das características culturais, da possibilidade de libertar todos os cativos só por se ter auto-proclamado Rei de todos os santomenses, o que nos tempos que correm significa um lutador pelos direitos dos mais desfavorecidos. Em São Tomé e Príncipe foi comemorado o dia 4 de Janeiro, que virou feriado nacional, homenageada a mítica figura his…

Encontro sobre Cooperação Portuguesa

Vai realizar-se o "Encontro sobra a Cooperação Portuguesa", na próxima segunda feira, dia 9 de Janeiro, pelas 17 horas.A mesa é constituída pelo Presidente do CAD/OCDE, com sede em Paris, Richard Manning; pelo Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, João Gomes Cravinho; pela Deputada do Parlamento Europeu, Ana Gomes; pela Presidente da Plataforma de ONG Portuguesas, Fátima Proença.Estando o processo de exame da Cooperação Portuguesa pelo CAD a meio, e tendo sido publicado em Diário da República de 22 de Dezembro a resolução do Conselho de Ministros sobre “Uma visão para a Cooperação”. Este promete ser um encontro interessante, é público e a entrada livre.Desenvolvimento e Combate à Pobreza: o papel de Portugal e da União Europeia
Sala de Conferências do Edifício Novo da Assembleia da República
Palácio de S. Bento
Lisboa


Programa
Sessão de abertura - Dr. João Cravinho, Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Ministério dos Negócios Est…

Página com fotografias de STP actualizado

A página/blog destinada a divulgar imagens fotográficas de São Tomé e Príncipe, também gerida por mim, que privilegia paisagens, ambiente florestal e balnear, pessoas e muitos sorrisos, arquitectura com traços marcadamente coloniais, foi actualizada. Os últimos registos são da autoria do António Ferreira de Sousa, que tem contribuído com reportagens alargadas e de grande qualidade, mostrando de forma realista modos de vida, retratos do quotidiano e a beleza do arquipélago. Em breve serão introduzidos outros contributos de visitantes das ilhas misteriosas que tanto seduzem e encantam, deixando saudades.

Dia Mundial da Biodiversidade e Escola de Mar

Li, naEscola de Mar, um blog delicioso sobre educação ambiental, preservação do ambiente e protecção de espécies que se celebrou, no passado dia 29 de Dezembro, o Dia Mundial da Biodiversidade. «A biodiversidade é uma necessidade, não um luxo. Nos anos mais recentes, o desaparecimento de espécies e de áreas naturais, consequência da actividade humana, tem ocorrido a uma velocidade sem precedentes. Não mencionando os problemas éticos, frequente e justificadamente referidos, a extinção adicional de mais uma espécie representa uma perda irreversível de códigos genéticos únicos, que estão muitas vezes ligados ao desenvolvimento de medicamentos, à produção de alimentos e a diversas actividades económicas.Esta é uma temática importante. Vale a pena pensarmos nisto e visitarmos locais onde possamos aprender um pouco mais sobre o meio que nos rodeia e sobre as melhores formas de contribuirmos para um mundo melhor.

Conferência Internacional sobre a Conservação das Tartarugas Marinhas

São Tomé e Príncipe organiza uma Conferência Internacional sobre a Conservação das Tartarugas Marinhas.São Tomé – 3 Janeiro 2006 – Iniciativa pioneira em Africa Central, a primeira conferencia  internacional sobre a conservação das tartarugas marinhas em São Tomé e Príncipe promete reunir inúmeros especialistas para discutir sobre a investigação e conservação destas espécies.São Tomé e Príncipe, país constituído por duas ilhas isoladas sobre o equador e a 300 km da Costa do Gabão, apresenta uma biodiversidade incrivelmente rica e possui a maior diversidade de espécies de tartarugas marinhas da região, com cinco que ocorrem nas suas águas e das quais 4 desovam entre Setembro a Abril. A ONG Santomense MARAPA, operadora do Programa de Protecção das Tartarugas Marinhas no arquipélago, é a responsável pela organização deste evento, a realizar nos dias 30 e 31 de Janeiro de 2006, na capital São Tomé. Durante o curso do século 20, o comércio de produtos à base de tartaruga, a poluição marinh…

O regresso

Voltei! E, antes de mais, quero agradecer a todos os que por aqui passaram, enquanto eu descansava, dormia e passeava, e que deixaram comentários, questões, reflexões e desejos. Não pensei em abandonar este cantinho. Não o conseguiria, eu acho. Viciei-me no teclado, na transmissão de pensamentos e principalmente nos vossos comentários, que adoro!. Tudo isto faz parte de mim, o que é muito bom. Mas, às vezes, é preciso pararmos por uns dias. Não de escrever, nem de pensar, mas sim de teclar porque se torna pessoalmente urgente fazer um balanço do que temos sido, não só aqui mas na vida, e pensar o que queremos efectivamente ser daqui para a frente. Nestes dias dormi (e estava a precisar), comi maravilhosamente bem (e dei de alimento ao anisakis, de forma controlada para que não me estragasse os dias), passeei (e soube bem ouvir o mar), dei pão aos pardais que vivem nas árvores à volta da casa onde estive (e foi muito agradável o contacto com a natureza, aliás como sempre), li (tinha um…