Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Agosto, 2005

Perspectiva

A verdade é que enriquecemos sempre com a diversidade de vivências e de experiências. Aprendemos e, em princípio, aperfeiçoamo-nos. É bom: mudar; conhecer novos locais; ter novos sonhos; ver novos céus e novas luas; ter a possibilidade de ver a vida de outra(s) perspectiva(s); alargar horizontes e aumentar o conhecimento. Bem, se o nosso campo de visão por vezes já nos parece grande, o que poderemos dizer da vastidão de África e, mais ainda, da imensidão do Mundo? É fantástica esta noção da sedução pelo desconhecido!

Da preguiça à FELICIDADE

Diziam-me, há uns dias, que eu andava preguiçosa. Ou melhor, não me disseram, escreveram-me a ralhar comigo por me sentirem preguiçosa na escrita e na expressão das ideias. Não, não vou aqui retomar o tema que estava na base da carinhosa chamada de atenção. Talvez mais tarde, quando me sentir com o espírito e a mente mais acelerada regresse à tal problemática. É que dá mesmo pano para mangas. Mas a verdade é que me tenho sentido mesmo molenga, pastelona, preguiçosa, se me quiserem chamar. É isso mesmo! Mas tenho alguns motivos e depois de pensar um pouco na crítica construtiva feita e que reconheço, pelo que agradeço ao autor, aqui estou eu para me desculpar. Primeiro conclui uma fase muito importante na minha vida, o que significa que, depois de um grande esforço, de ter tomado decisões difíceis que me obrigaram a optar entre a situação A e a B, com custos óbvios independentemente do que escolhesse no momento X, tive de fazer a passagem para outra fase, a do pós, que é igualmente imp…

um sonho realizado

É bom sonhar, desejar, idealizar e projectar. Mas é muito melhor quando se realiza o que se idealizou. E hoje deram-me a possibilidade de realizaro um projecto com África no horizonte, a África dos meus sonhos!

Sobre a felicidade

Há quem seja céptico e diga que a felicidade não existe por ser inatingível. Também há quem diga que é efémera, distante, que não passa de sonhos e de visões. Ainda há quem diga que é passageira e que não ultrapassa milésimos de segundo, não sendo mais do que momentos de êxtase. E há quem a chame de volúvel por se traduzir em desejos que, por serem sempre diferentes, saltitam de um para outro rapidamente, quase não deixando marcas. MAS a felicidade existe, eu acredito! E hoje é um dia de grande felicidade para mim, aliás são sempre dias de grande felicidade aqueles em que: cumpro objectivos; os meus desejos mais profundos são cumpridos, após uma luta ou uma espera prolongada; tenho a capacidade de sonhar e de realizar; encontro ou revejo pessoas de quem gosto muito e com quem me sinto bem; sou invadida por uma onda de harmonia e olho o mundo vendo nele a perfeição. Será utopia? Talvez não, porque A FELICIDADE EXISTE!!!

Surto de Cólera na Guiné Bissau

Na Guiné Bissau há um surto de cólera que continua a alastrar: infecção intestinal aguda, causada pela ingestão de alimentos ou água contaminada por uma bactéria com o estranho nome de “Vibro Cholerae”.  Os sintomas são conhecidos e os efeitos chegam a ser devastadores, se não forem tomadas as precauções necessárias: diarreia, vómitos, rápida desidratação e colapso circulatório. Nas situações de maior gravidade não tratadas pode mesmo resultar em morte. Actualmente faltam soros para hidratação oral e as condições sanitárias continuam a ser muito precárias, principalmente nos bairros periféricos. Ajuda precisa-se!!!

INTO AFRICA

Estou encantada. Tive acesso à documentação disponibilizada pela INTO AFRICA aos participantes de uma viagem à África do Sul, passando por Moçambique. Simplesmente deslumbrante. Além da viagem ser muito promissora em experiências inesquecíveis e em paisagens de sonho, a agência disponibiliza a cada participante informação útil, prática e bem apresentada, sintética qb e muito apelativa em imagens, com contactos detalhados e muito claros. Claro que, quando cheguei a casa, vim a correr consultar o site e é tão sugestivo que, apesar de não fazer parte do grupo que vai viajar, também me senti imediatamente transportada até à savana africana no seu melhor, recheada de animais selvagens e oferecendo a possibilidade de, quem quiser, desenvolver actividades inesquecíveis como voos de balão e de ultraleve. Como é bom sonhar...E o melhor de tudo, ou que me deslumbrou ainda mais, foi perceber que esta é uma agência de uma moçambicana – Irene Grilo – que não procura apenas vender produtos, de form…

Prémios literários Sonangol

Cabo Verde e São Tomé e Príncipe estão de parabéns!!! A notícia apareceu-me através do PULULU e depois pesquisei mais e encontrei-a no AFRICANIDADE.O Prémio Sonangol da Literatura 2005, a distinção mais importante atribuída em Angola, reconheceu dois escritores, um santomense (Malé Madeçu, que na verdade é o pseudónimo de Manuel Teles Neto) com a obra “Retalhos do Massacre de Batepá” e outro caboverdiano, Fidalgo Preto com a obra “Baban – O Ladino”. Os membros do juro consideraram que as obras se destacaram "salvaguarda dos valores étnicos e sócio-culturais dos seus países", já que Malé Madeçu promove "uma valorização do património cultural de S. Tomé e Príncipe", e o livro premiado "constitui a memória da ruptura entre o império e a colónia". “Retalhos do Massacre de Batepá” possui "um grande valor como epopeia da resistência político-cultural, que alimenta o patriotismo das gerações jovens, geralmente desconhecedoras da sua própria história".O…

Confissão desconfortável...

Tenho de fazer uma confissão desconfortável, mas que espero que seja perdoável, dado o dia de hoje ser de comemoração e de aniversário... :-)Durante um ano andei meia escondida neste cantinho, atrás destas palavras. Não, não é exactamente o que estão a pensar. Eu sou mesmo eu, a minha identificação é real e as fotos que aqui fui colocando na “fase egocêntrica” e com o meu cão são mesmo minhas. Eu sou eu e os textos são mesmo sentidos, traduzindo sentimentos e vivências. A confissão é que durante este tempo procurei não divulgar o meu espaço pela família, pelos amigos mais próximos e conhecidos. Com a família só o fiz há relativamente pouco tempo e com os amigos... apenas hoje: acabei de enviar um mail pedindo-lhes para passarem por cá (não sei se vão mesmo amuar comigo e não aparecem... mas espero que me perdoem!). E tenho de confessar ainda que esta opção teve uma razão de ser: quando criei este cantinho não tinha a certeza de querer dar-lhe continuidade e a verdade é que lhe ganhei …

Ao Kitanda, com atraso...

A comemoração do aniversário dos blogs é uma ocasião muito engraçada porque nos aproxima ainda mais, o que é fantástico porque na maioria dos casos só nos conhecemos através dos nossos cantinhos. Tomei mesmo consciência disso há pouco... é que recebi mensagens, todas muito, muito, muito bonitas e que me deixaram o ego nos píncaros. Mas imperdoavelmente... não cumprimentei, nem deixei uma mensagem ao Cacusso. É que o Kitanda é pouco mais velho do que o espaço que tenho vindo a construir, devagar devagarinho, bem ao ritmo vagaroso que conheci e aprendi a gostar em África. O Cacusso tem-me ensinado muito sobre a cultura africana e aprender, além de ser uma tarefa incontornável porque imparável, implica sonhar e não há nada melhor. Parabéns Cacusso pelo magnífico Kitanda! Um excelente trabalho sobre e para África.

O 1º ano da vida de um Blog

O “África de Todos os Sonhos” faz hoje, dia 24 de Agosto, um ano! Quando o criei nunca pensei que tivesse condições para chegar até aqui. Comecei por teclar textos e pensamentos que fui escrevendo durante as minhas viagens ao continente que nos fica na alma após o termos visitado pela primeira vez, e este começou por ser um blog de “sistematização de emoções e de vivências” traduzidas em palavras. Daqui a tudo o que ficou registado ao longo de doze meses foi um pequeníssimo passo. Fui-me entusiasmando pouco a pouco, “leve leve só”: recriando algumas situações; relatando outras; dando vida a outras eternizando-as como forma de as eliminar para sempre da minha vida; repesquei ainda outras que julgava perdidas e que se revelaram promissoras. Escrevi muito mais do que poderia pensar inicialmente e escrevi um pouco acerca de tudo, muitas vezes ultrapassando o primeiríssimo princípio: África, “a minha”, e os sonhos a que me permiti durante as viagens que efectuei. Mas continuo a sonhar e Áf…

Naturlink

No Fazendo Caminhoencontrei o link da Naturlink. É um contributo fantástico para quem se preocupa com o ambiente e que passará para o lado direito deste blog, já que será objecto das minhas consultas mais frequentes. Obrigada L.

Alguns factores de diferenciação: ainda sobre os incêndios...

Os incêndios em Portugal e em África são muito diferentes. Na verdade, nos países africanos que conheci e pelos quais passei, mais ou menos tempo em função dos casos, não me recordo de haver situações de fogos postos como por cá acontece. Pois claro, também não há tantos interesses económico-produtivos envolvidos. Não há uma indústria transformadora tão importante, o papel não é considerado um bem tão necessário e os negócios da madeira são bem mais frágeis. Não há grandes empresários locais a provocarem desflorestação de grandes áreas com abate de árvores em massa para vender e também não há grandes industriais a procurá-la. A madeira cortada, mesmo de forma clandestina, não oficial e por isso ilegal, apesar de em maior quantidade do que seria suposto e desejável, destina-se maioritariamente ao consumo local e imediato por ser uma das principais fontes de energia familiar, senão mesmo a mais importante.Estava eu a ver o telejornal com terríficas imagens a passarem pelo écran, mesmo à…

SOCOOOORRO... Estamos a ARDER!!!

Dá vontade de gritar para ver se alguém dá atenção. Portugal, aquele pequeno país com pretensões a grande, quase sempre esquecido no meio do mundo desenvolvido, e que faz fronteira com o magnífico Oceano Atlântico, está literalmente a arder. Ao ritmo que as chamas avançam, chegando já às grandes cidades, queimando e destruindo tudo por onde passam por ser impiedoso, não tarda desaparecemos. Diziam que Portugal afundaria e fizeram-se piadas sem fim, com direito a cartoons, retratando-nos a afundar no oceano. Mas afinal, enganaram-se duplamente: o tema não requer brincadeira nem piadinhas porque é mesmo muito sério; o problema não está no facto de não sabermos nadar mas sim na dificuldade que temos em nos precaver contra os fogos. Ou melhor, em termos vontade de criar soluções no “ante”. Estamos prestes a desaparecer, literalmente queimados. E parece que ninguém se preocupa com a situação. É obviamente chocante, revoltante, desesperante e exasperante. Dá vontade de gritar sem parar porq…

Novas Referências Gastronómicas de e em STP

Depois do Jalé Ecolodge ter aberto, bem no centro da Praia Jalé, a oferta de restauração não só aumento como está a proliferar. E de pensar que, nos tempos em que era só o “Acampamento Jalé da ECOFAC”, não havia um único sítio para comer, a não ser uma barraquinha que vendia latas “quentes” de coca-cola... Bem, de acordo com informações mais do que fidedignas, algumas das cozinheiras (e cozinheiros...) de Porto Alegre organizaram-se e começaram a confeccionar na hora comida caseira, desde que com aviso prévio. Comida de qualidade e feita “à moda da terra”: calulu, bla bla, choco na brasa, salada de polvo à Porto Alegre, peixe do dia assado e ainda açucarinha de sobremesa. É muito importante referir que há a garantia de, na confecção, se utilizarem exclusivamente produtos locais, com o nobre objectivo de promover a sustentabilidade, com excepção de carne de tartaruga ou dos ovos. A não esquecer que esta é uma espécie a proteger de forma consciente e responsável e que todo o projecto do…

Estragaram a terra da minha infância...

Aquela é uma terra à beira mar plantada, situada bem ao meio de uma baía calma e tranquila, onde as águas só se mexem quando a maré vaza ou enche. Ali aprendi a nadar, perdi o medo do mar e ganhei respeito à sua força e teimosia, percebendo que numa luta com as correntes, o mais provável é eu não vencer. O mar tudo nos dá, depende da forma como o tratamos: se conversarmos com ele e o admirarmos, ele oferece-nos coisas boas e permite-nos realizar sonhos; se falamos com ou sobre ele com desdém e arrogância, ele responde-nos demonstrando quem manda.
Ali o mar continua calmo como sempre foi, azul escuro e frio, rico em peixe, molusco e marisco. Tanto assim é que a vida na vila se faz à volta dele. Não há família que não tenha gerado pelo menos um pescador e, muito menos, que não se alimente maioritariamente do que as águas e as profundezas oferecem. Os dias de comer carne eram festivos, hoje são-no menos mas o peixe continua a predominar.
A vila, como tantas outras no país, era pitoresca, c…

Fogo interior

A lua hoje estava, de novo, apelativa e sedutora, despertando os sentidos e acendendo o desejo. Ou, se calhar, o desejo foi aceso antes por um bombeiro fugitivo que não o apagou, deixando os sentidos incendiados. E, ao olhar a lua, apesar do vento refrescante que soprava por aquelas bandas, sentiu-se invadida pela intensidade do calor interior. E mais não lhe restou senão observá-la com a ternura das recordações.

Inesquecível São Tomé

São Tomé e Príncipe é mesmo um arquipélago magnífico e, por mais que quisesse, não me conseguiria esquecer dele. Mas na verdade também não quero, antes pelo contrário, gosto muito de me lembrar daquele lugar onde fui tão feliz. Como poderia esquecer...?Hoje, andava eu a “passear” por esse mundo de blogs e fico contente ao ver a fotografia de um bicho espectacularmente estranho e bonito. Encontram-no aqui. E reparem bem na tonalidade e na forma das patas. É um anfíbio trepador, deseu nomeNesionixalus thomensis. E só podia recordar-me das caminhadas, à descoberta de novos lugares e de novas emoções.Existem algumas espécies endémicas em São Tomé e Príncipe, tanto no que respeita à fauna, particularizando-se as aves e os répteis, como à flora. Este é um arquipélago único, com uma paisagem deslumbrante. Como os espanhóis diriam: inolvidable!

Estará o Mundo do avesso?

Dou comigo estupefacta ao ver/ouvir/ler as notícias diárias. Na verdade nem me apetece saber de mais nada do que se passa por aí, e dou razão à frase que fala das avestruzes de cabeça enfiada na areia para não verem, não ouvirem e sabe-se lá mais o quê. O Mundo está virado do avesso e as desgraças são a tónica dominante: por cá, a seca e os fogos fazem notícia e quanto mais macabra e detalhada for a cena, com relatos pormenorizados e mórbidos, tanto melhor; por fora, são as guerras e os bombardeamentos, os conflitos entre uns e outros, os cataclismos naturais como sismos e tsunamis, bem como as mortes resultantes e, como se não bastasse, as quedas de aviões que se sucedem a um ritmo alucinante. Mas afinal o que se passa com a Terra e o Mundo em que vivemos?

Charlie e a Fábrica do Chocolate

Charlie e a Fábrica do Chocolate” é um filme espectacular, que aborda temas sérios de forma ligeira e bem humorada. Johnny Deep no seu melhor, rodeado de crianças com prestações irrepreensíveis, em cenários fantásticos com o chocolate como imagem dominante. Chocolate e cacau. Que saudades daquele estranho e bonito fruto que conheci em África...

Locais secretos e encantados ou pequenos paraísos à beira mar

“É bom termos locais secretos, que nos são familiares porque confortáveis, bonitos e que nos provocam a sensação de apaziguamento com o Mundo e com a Vida, que conhecemos bem e que não divulgaríamos por nada, simplesmente porque sabemos que em certas alturas precisamos deles só para nós”, pensava ao observar a paisagem que tinha diante de si. Há muito que passava por aquele local à beira mar e, sem saber explicar porquê, entendia-o como o seu espaço. Para dizer a verdade, tinha o hábito de passear longamente por ali, ora acompanhada ora sozinha, ouvindo o som do mar e sentindo o sol nas costas a aquecer-lhe a alma. Aquele era um dos seus passeios preferidos, principalmente entre o Outono e a Primavera. O mar estava já ali, aos seus olhos e mesmo à mão, podia vê-lo, tocar-lhe, sentir tanto a frescura revitalizante nos dias tranquilos como nos períodos de agitação e turbulência, e gostava de se descalçar para receber as energias positivas e revigorantes que o Neptuno lhe proporcionava, …

"JALÉ ECOLODGE" EM FUNCIONAMENTO!!!

Hoje estou muito contente!!! Recebi uma excelente notícia por e-mail e vou deixá-la aqui como forma de divulgação, incluindo o link na secção apresentada à direita do blog. Numa das minhas iniciais incursões a STP, viajei até ao sul: não mais do que 90 km de estrada mas que representam, ainda hoje, uma aventura para quem não estiver preparado para encontrar uma estrada nacional, e única que liga a capital ao sul, esburacada, sem sinalização e estreita, mas com um enquadramento fantástico e uma paisagem deslumbrante, riquíssima em espécies florísticas e faunísticas. Vale a pena o esforço e as dores de costas que representam um bónus. A viagem para sul teve como objectivo a visita, com os representantes da ECOFAC, a um projecto inovador no arquipélago, pela sua filosofia: a observação de espécies, privilegiando as tartarugas marinhas (das quais sou fã e completa apaixonada), mas podendo também avistar-se macacos, morcegos gigantes que se alimentam de fruta, baleias e golfinhos, e uma co…

João Carlos Silva ou "O Homem da Roça"

Na revista Visão de 11 de Agosto, pg. 72 e 73, o tema sociedade apresentagrande destaque ao João Carlos Silva (Roça de S. João). Antes de mais, ele é um grandioso embaixador de STP que tem tido um trabalho incansável e louvável de divulgação do país, sempre pela positiva e com uma alegria mágica e contagiante. Parabéns, João Carlos!!!

O mar

O mar tem efeitos benéficos altamente conhecidos e eu posso comprovar que é verdade. Quando uma pessoa está “em baixo”, com o espírito mais cinzento e nublado, podendo mesmo chuviscar ou trovejar, não há nada tão medicinal e com efeitos terapêuticos como um banho salgado em águas marinhas com ondulação. Sentir a força das águas através das ondas e o borbulhar na rebentação, dando a sensação de se estar num jacuzzi natural, é revitalizante e energizante. Depois de refrescar, sentir os raios solares, pela manhã, bem cedinho, a aquecerem a alma, começando pela pele e entrando nos tecidos, dá uma sensação de fotossíntese fantástica. Magnífico!

Fim de semana... GRAAAANDE!

Ina ina ina! Hoje começa um fim de semana grande. É óptimo porque quando chega a domingo, tenho a sensação de continuar de fim de semana e na 2ª feira parece-me domingo. O que significa que a semana que vem é mais pequenina e que o novo fim de semana está mais perto. Bem, para mim as semanas são mais ou menos iguais e não tenho o stress do trânsito, das filas e da irritação dos horários a cumprir. Mas é bom sentir um pouco de quebra da minha rotina, nem que seja por haver mais gente por perto, perto de mim. Gosto de sentir a presença dos “meus”, dos que me compreendem, ou nem sempre conseguem mas que tentam. E depois é altura de fazer coisas diferentes, de me aproximar ainda mais da natureza, que é onde me sinto mesmo bem, de ir à praia e pôr os pés na areia molhada e sentir a água salgada, mais fria, muito mais mesmo, do que em África, que era magnífica, e de fazer petiscos. Que bom, estamos de fim de semana graaaande!!!!

Revitalização

Para revitalizar o espírito, nada como uma aula de hidroginástica, daquelas bem “puxadas” em que não se pára nem por um minuto para descansar. Magnífico! O desporto em água gera um efeito múltiplo: dá energia e descontrai, apazigua a alma e tonifica o corpo. Numa expressão, liberta o stress. Saio daquelas aulas outra pessoa. E de pensar que “dei umas férias prolongadas” ao clube... não voltarei a cometer este erro!

A Tia e o Jardim Zoológico

E cá ando eu em actividades pedagógicas, quem sabe se por deformação profissional, com o meu sobrinho, moço simpático e dado ao conhecimento sobre os animais, preferencialmente com observação directa. No outro dia fomos até ao Aquário Vasco da Gama, onde ele se deliciou, uma vez mais, com as tartarugas, o leão marinho e a foca. Não sei porquê mas não achou muita piada aos aquários mais pequenos, com excepção de um ou outro com camarões e peixes mais estranhos. Também fomos ao Pavilhão do Conhecimento, pode parecer uma vergonha mas foi a primeira vez que o visitei... E hoje foi o dia do Zoo. Magnífico, estrondoso, permitiu-me reviver os meus tempos infantis, quando ia muitas e muitas vezes até àquele local repleto de bicharada. O meu preferido foi sempre o elefante porque me parecia simpático e tocava o sino quando lhe ofereciamos uma moeda. Esta prática perdeu-se com o tempo mas os elefantes estão por lá, felizes de tal forma que se reproduzem. Aliás, os animais estão bem tratados e h…

PERCEBERAM?

É comum e absolutamente terrificante quando, no meio de um jantar de família para comemoração dos anos de alguém, Natal ou Páscoa, um tio ou uma tia, que nos habituámos a ver pouco, nos pergunta quando é que casamos e porque é que não pensamos em ter filhos. Dá vontade de fugir para bem longe, mas como não o podemos fazer, apetece dizer, com um sorriso o mais natural possível mas que sai forçado, que preferimos os filhos dos outros, os sobrinhos, porque ficamos pelo afecto e pela brincadeira, somos mais permissivos e só temos a parte boa. Os filhos responsabilizam-nos mais do que normalmente desejamos e nem sempre estamos dispostos a abdicar da vida confortável e egoisticamente formada, cheia de liberdade e de individualismo. E depois ainda temos vontade de dizer que o casamento se vai fazendo conforme se entende, ao ritmo de cada um e sem a formalidade do tradicionalmente estabelecido. Mas ficamo-nos pela vontade de exprimir o descontentamento em relação às dúvidas de cada um e respo…

Guiné Bissau: Já está!

A Comissão Nacional de Eleições deu razão a Nino Vieira e Sanha não se conforma: vai apelar ao Supremo. A novela continua e os guineenses perdem com as estratégias individuais de liderança e de lutas pelo poder. Ironicamente penso que estamos perante a Guiné Bissau no seu melhor... Dá vontade de pedir: por favor, organizem-se... Mas parece que ninguém quer escutar o apelo. Face ao contexto, espero sinceramente que os erros do passado não se repitam e que todos, sem excepção, trabalhem a favor da construção da paz, na busca da estabilidade e da melhoria das condições de vida das comunidades, trabalhando directamente com elas, a nível local. E espero que este não seja apenas mais um dos meus sonhos africanos...

Conformismo

E, ao ouvir esta letra na rádio, agorinha mesmo, dei comigo a pensar... - Retirado de “Separated Lives” de Phill Collins“You have no right to ask me how I feel
You have no right to speak to me so kind
We can't go on just holding on to time
Now that we're living separate livesWell I held on to let you go
And if you lost your love for me, well you never let it show
There was no way to compromise
So now we're living (living)
Separate lives”E pronto, é a vida… o que se há-de fazer? E, já agora fica no ar a pergunta: porque é que as letras das músicas, às vezes, têm tanto que ver com a nossa própria vida? Um dia há-de ser diferente... quem sabe? E se não tiver de ser, paciência!

PROCURA-SE UM AMIGO

Por Vinicius de MoraesNão precisa ser  homem,  basta ser humano, basta ter sentimentos, basta ter  coração. Precisa saber falar e calar, sobretudo saber ouvir. Tem que gostar  de poesia, de madrugada, de pássaro, de sol, da lua, do canto, dos  ventos e das canções da brisa. Deve ter amor, um grande amor por  alguém,  ou  então  sentir  falta  de não ter esse amor. Deve amar o próximo  e  respeitar  a dor que os passantes levam consigo. Deve guardar segredo sem se sacrificar. Não  é  preciso  que seja de primeira mão, nem é imprescindível que seja  de segunda mão. Pode já ter sido enganado, pois todos os amigos são enganados. Não é preciso que seja puro, nem que seja todo impuro, mas não deve ser vulgar. Deve ter um ideal e medo de perdê-lo e, no caso de assim não  ser, deve  sentir  o  grande  vácuo  que  isso  deixa. Tem que ter ressonâncias humanas, seu principal objectivo deve ser o de amigo. Deve sentir  pena  das  pessoa  tristes  e  compreender  o  imenso  vazio dos solitários. …

Site do Café e Companhia, STP

Em São Tomé e Príncipe há vários cafés e um deles destaca-se pela excelente localização, já que é muito central, pela decoração, cujo tema principal é o café, ou não estivéssemos na terra dele, pelo atendimento cordial, atencioso sem se tornar chato e servil, pela qualidade do que se encontra e consome. Além do mais, é o local de encontro privilegiado. O “Café e Companhia” tem finalmente uma página da net, que merece uma consulta. Está muito bonita porque simples, directa e objectiva, de fácil acessibilidade, apresenta fotografias e informações úteis, tais como os horários de atendimento, os serviços, a possibilidade de consultar internet. E tem uma vantagem acrescida, as versões em português e inglês.E já agora, quem estiver interessado em investir em África e mudar de vida, tem ali uma óptima oportunidade: os exploradores querem vender porque regressam a Portugal. Para contactos: Maria João em mjpombo@hotmail.com

STP de luto, morreu o cantor Camilo Domingos

Morreu o cantor santomense Domingos Lopes Gomes - Camilo Domingos - natural do Príncipe, com três discos de Ouro em 22 anos de carreira.
Tinha 40 anos. É uma perda para a família, para São Tomé e Príncipe e para o Mundo. A música é uma das formas mais bonitas de eternizar a cultura de qualquer povo e os cantores africanos sabem-no fazer de forma ímpar, apesar das dificuldades que sentem de forma acrescida.

Portugal no seu melhor

Chegamos a Agosto e Portugal quase pára, o que tem aspectos muito magníficos e outros que nos transformam a vida num inferno, para não dizer desespero. Quais são os sintomas? Por um lado, os telefones tocam menos, deixamos de receber fluxos de mails de distracção, que em certas ocasiões nos entopem a caixa de correio, o trânsito reduz de forma radical, há quase sempre lugar nos restaurantes, os vizinhos vão de férias e o barulho diminui. Mas... quando precisamos de uma informação, da mais simples à mais complicada, e contactamos os serviços que nos podem, ou devem, esclarecer, deparamos com uma infinita perplexidade, como se fossemos completamente burros e as questões que colocamos não fizessem qualquer sentido. Mesmo quando alegamos prazos a cumprir, ouvimos a má vontade expressa em palavras e suspiros que desencorajam alguns e enfurecem os restantes. Se os contactos são telefónicos, desligamos com a estranha sensação, porque difícil de gerir, de termos incomodado sem motivo a pessoa…

Bioterra: educação ambiental na blogosfera

É sempre um prazer visitar o Bioterra: aprende-se de forma ligeira e levezinha, com a sensação de estarmos rodeados de ambientes agradáveis porque naturais e preservados. Uma forma muito interessante de promover a educação ambiental através da blogosfera. As imagens são fantásticas, os links de uma imensa utilidade, actuais e ricos em informação, e as mensagens levam-nos a reflectir sobre o futuro. Vale a pena mais uma incursão a este blog verde, azul e da cor da terra.

Galeria de Exposições do Centro Cultural Luso-Moçambique

Artistas africanos têm em Lisboa umagaleria que mostra alguns dos seus melhores trabalhos.Com pouco mais de seis meses de funcionamento, aGaleria de Exposições do Centro CulturalLuso-Moçambicano, na Loja 43 do Centro Comercial Apolo70, promoveu seisexposições. Com 235 sócios, o centro visa actuar em diversas áreaspara além da Cultura, com realce para a área social,onde se acompanham cidadãos moçambicanos commenores recursos, hospitalizados, presos, mulheres e crianças.
A literatura africana é entendida como umacomponente importante para a divulgação das línguas, tendo o Centro o objectivo de editar jovens escritores.Neste momento, a Galeria tem em exposição obras deMalagatana, Lívio de Morais, Magina e Heitor Pais, quepodem ser adquiridas.

Só pode ser...

Brincadeira...! E, no caso, de mau gosto! A discrepância na contagem dos votos na Guiné Bissau é de 2 votos... ?! Os descontentes só podem conformar-se, portanto, e respeitar os resultados. Mas lá que não soa bem... pois não soa! Mais informações no ExpressoÁfrica.

Ao meu Pai

Há dias que ficam para sempre gravados e registados em nós, minuto a minuto, tornando-se impossível esquecê-los. Hoje é, para mim, um desses dias. Faz nove anos que o pior dia, por mim vivido até à data, aconteceu. Um dia triste que nunca esquecerei e que mudou, para sempre, a minha vida. A partir do dia 5 de Agosto de 1996 transformei-me. E se, por um lado, o tempo voou, por outro, tenho a sensação que parou porque as lembranças permanecem muito presentes. Porquê? Porque “TU” eras uma pessoa infinitamente especial, pela bondade e dedicação, pelo cuidado e atenção, pela compreensão e entrega a todos os que precisaram, em algum momento de “TI”. Porque é impossível não nos lembrarmos de “TI” e da falta que nos fazes. “TU” foste o pai que, se pudesse escolher, preferiria ter, mas que por não ter tido essa possibilidade, afirmo com certezas que fui bafejada pela sorte por ser “TUA” filha, ter crescido e aprendido contigo a ser quem sou, acreditando no amor e na amizade, respeitando as dif…

Há dias

Há dias em que parecemos invisíveis: falamos e não nos ouvem; andamos e não nos vêem...

João Carlos Silva na Volta a Portugal em Bicicleta

O João Carlos Silva (“Na Roça com os Tachos” e Roça de S. João) vai estar presente na Volta a Portugal em Bicicleta, a acompanhar a RTP, não como corredor mas como animador, com os tachos e os petiscos que tão bem sabe confeccionar. Aqui fica a dica para quem estiver por perto do circuito e quiser provar (ou relembrar) e apreciar os sabores africanos e equatoriais de São Tomé e Príncipe. E como a Volta está quase a começar...

Recordações e Perplexidades

Ontem não pude estar em casa durante o dia porque iam dar mais “uma de mão” de verniz no chão. Uma vez em Lisboa, cidade que, de dia para dia, menos me encanta, até porque me deprime e angustia, e sem nada para fazer, decidi passear pelo Parque nas Nações. Este é um local que conheço bem e que faz parte das minhas ternas recordações no que aos afectos diz respeito. Foi um dos locais onde mais namorei com um dos homens mais doces que passou pela minha vida: também é verdade, e convém esclarecer, que foram poucos, por isso é fácil defini-los um a um.Estávamos no início da década de 90 e o chamamento por África fazia-se ainda sentir de forma ligeira e pontual, já que a minha vida era feita em Portugal e eu não equacionava sequer a possibilidade de ter uma vida diferente da maioria das pessoas da minha família e dos meus amigos. Namorámos cinco anos, conjugando encontros, alguns desentendimentos e muitos momentos felizes, que resultaram numa aprendizagem mútua que nos conduziu ao que hoje…