Avançar para o conteúdo principal

"JALÉ ECOLODGE" EM FUNCIONAMENTO!!!


Hoje estou muito contente!!! Recebi uma excelente notícia por e-mail e vou deixá-la aqui como forma de divulgação, incluindo o link na secção apresentada à direita do blog.

Numa das minhas iniciais incursões a STP, viajei até ao sul: não mais do que 90 km de estrada mas que representam, ainda hoje, uma aventura para quem não estiver preparado para encontrar uma estrada nacional, e única que liga a capital ao sul, esburacada, sem sinalização e estreita, mas com um enquadramento fantástico e uma paisagem deslumbrante, riquíssima em espécies florísticas e faunísticas. Vale a pena o esforço e as dores de costas que representam um bónus. A viagem para sul teve como objectivo a visita, com os representantes da ECOFAC, a um projecto inovador no arquipélago, pela sua filosofia: a observação de espécies, privilegiando as tartarugas marinhas (das quais sou fã e completa apaixonada), mas podendo também avistar-se macacos, morcegos gigantes que se alimentam de fruta, baleias e golfinhos, e uma cobrita ou outra que possa aparecer.

Claro está que adorei a visita, apesar do lodge estar ainda em construção, mas como projecto enquadrava-se por completo no que eu estava a estudar na altura, pelo que ali tinha eu mais um estudo de caso com viabilidade. Claro está que pelo ritmo santomense, naturalmente conhecido, e devido a um conjunto de constrangimentos, também normais nestas coisas, a exploração da iniciativa foi sendo atrasada e acabei por concluir a investigação e por defender o bendito doutoramento sem que houvesse novidades com importância para apresentar. Este entrou na secção das iniciativas projectadas.

Mas, dizia eu no início do post, hoje estou muito contente porque acabei de receber a grande notícia por e-mail. O ex-“Acampamento Jalé” foi oficialmente inaugurado a 7 de Agosto e denomina-se JALÉ ECOLODGE, projecto ecoturístico e vocacionado para a observação de espécies e a preservação ambiental, com envolvimento tanto das comunidades residentes no sul da ilha de São Tomé como dos visitantes. A observação de espécies animais tem sido uma realidade: macacos, morcegos, baleias e golfinhos, proporcionando imagens inesquecíveis. E depois, há a magnífica praia Jalé, onde o lodge foi construído (3 bungalows com capacidade máxima de 9 pessoas), e as praias Piscina e Xixi nas proximidades, e em Porto Alegre, os pescadores que podem levar-nos, de canoa, à inesquecível Baía de S. Miguel, apenas acessível de barco ou a pé, mas que neste último caso, requer preparação física e psicológica para um “esticão” muito esforçado.

A filosofia do projecto passa por uma dimensão educativa muito interessante porque promotora da participação de todos nas actividades desenvolvidas e é um projecto completamente ecológico, de contacto com a natureza e marcado pela simplicidade: o sistema de fornecimento de água é assegurado por um sistema de reciclagem a partir da água da chuva, na cozinha existe um fogão a lenha que facilita a preparação de refeições rápidas.

A iniciativa dispõe de um site na Internet, com versão portuguesa completa, estando a ser concluídas as inglesa e francesa, sendo actualmente o resultado de uma parceria entre a ECOFAC, a MARAPA, o Fonds Français pour l’environnement mondial, a AFVP e a Alliance Française.

Os preços praticados são muito atractivos, face às actividades que se podem desenvolver e ao enquadramento paisagístico: bungalow duplo (com rede mosquiteira) 25 euros, podendo solicitar-se uma cama extra, acrescendo 5 euros à tarifa de base.

Para contactos e reservas:
Oswaldo Mesquita
Empresa Porto Alegre
Cidade de Angolares
Rep. Dem. de São Tomé e Príncipe

praiajale@hotmail.com

ou
ONG MARAPA (Mar, Ambiente e Pesca Artesanal)
Bastien Loloum

Largo Bom Despacho
CP 292 São Tomé
São Tomé e Principe
Tel : 239-222792

marapa@cstome.net

Mensagens populares deste blogue

Calulu de Galinha, Pato ou Porco

Este post é dedicado à Helena, uma variação do Calulu de Peixe. Proponho a versão de carne que na minha opinião é incomparavelmente melhor. Uma refeição para preparar com tempo e calma, "leve-leve só", para saborear na tranquilidade de uma boa companhia.Recebi agora mais uma informação interessante - na língua local, não se diz Calulu mas sim Cálu ou Kalu, pelo que o termo que utilizamos (e que sempre ouvi em STP) será uma africanização/aportuguesamento absolutamente desnecessária (Obrigada, amigo Alcídio).Receita de CALULU DE GALINHA, PATO OU PORCO, gentilmente cedida por D. Alcinda Lombá (e transmitida pelo Paco)Ingredientes
Galinha, ou pato ou carne de porco fumada);
Folhas (ponto, maquêquê, galo, ótage, olho de folha de goiabeira, quimi, margoso, mesquito, mússua, damina, matrussu, tartaruga...);
óleo de palma;
beringela;
quiabo;
cebola;
tomate;
pau de pimenta;
óssame;
fruta pão;
farinha de mandioca;
Modo de preparação
Picar as folhas todas e em pedaços pequenos (opcional moer ou ama…

O Tubarão de STP – I Parte

Depois de ter regressado a Lisboa, após a minha última incursão a São Tomé, não há dia em que não me lembre das maravilhas do arquipélago, das suas particularidades, as mais apelativas e as outras... que representam riscos, mas que, por essa mesma razão, têm também o seu “quê” de sedução.
O tubarão de São Tomé é uma dessas particularidades, à volta do qual se tecem considerações, se contam histórias e se criam mitos, a maioria sem certezas. Sempre ouvi falar muito acerca do tubarão e nem sei porquê, talvez por ser um animal pouco simpático, que não permite grandes contactos com o Homem e que, apesar de tudo, existe em grande quantidade por aquelas águas. A maioria revelava desconhecimento sobre tipos e quantidade, principais riscos e ameaças, número de ataques e praias onde aparecem mais frequentemente. Mas as conversas evidenciavam sobretudo medo e desconforto. Havia quem: tivesse terror de o encontrar; dissesse já o ter avistado numa passagem de ano no pontão do Marlin, que era inof…