quarta-feira, 28 de dezembro de 2005

Balanço anual

Mais um ano finda e mais outro inicia. É estranha a sensação, depois de fazer uma rapidíssima incursão pelos posts aqui colocados ao longo de um ano. O tempo é de facto efémero. Tudo passa muito mais rapidamente do que algum dia imaginámos. E ter um blog ajuda a reforçar esta ideia. Escreve-se muito mais do que se julgaria possível e, quando se relê o que se escreveu, percebe-se que o ano foi muito produtivo. Nem sempre a ideia saiu da forma desejada, mas foi expressa e isso é que é importante.

Precisamente há um ano eu estava muito contente: deixava 2004 para trás, um ano de tensões e marcado pela lentidão nos processos e nas decisões, e chegava 2005, ano que me transmitia uma sonoridade alegre e de esperança na mudança. O ano veio e passou, muito rapidamente até. E agora estou, uma vez mais, em fase de balanço e com expectativas redobradas em 2006, que me soa a número de consolidação de projectos.

2005 foi um ano de transição e de definição pessoal. Nem particularmente bom para me deixar nas nuvens, nem suficientemente mau para o querer esquecer. Passou por mim e deixou ficar sinais auspiciosos e agradáveis de novos projectos, de excelentes iniciativas e de prováveis realizações. Termino 2005 e inicio 2006 de forma tranquila e com Áfricas no horizonte. Digo Áfricas por serem muito diferentes... Haverá algo melhor?

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...