sábado, 30 de outubro de 2004

Grizabella, the glamour cat

E quando Grizabella entoou aquela magnífica canção, "Memory", eu, que já estava rendida à beleza perfeccionista do espectáculo, emocionei-me, porque não era possível deixar de o fazer.
Dias bons que foram e que deixaram lembranças e que continuamente recordamos.
Memórias de pessoas e de momentos que procuramos reavivar e voltar a viver.
Tentativas de renascer para um "novo dia" após uma má experiência.
Grizabella, a gata glamorosa é posta de parte pelo resto do grupo de gatos Jellicle por, há uns anos atrás, ter optado deixá-los, com o objectivo de conhecer e explorar o mundo exterior, novo para ela e sedutor. Agora que regressou, sem o glamour e a beleza dos tempos idos, cansada, desgastada e sózinha, o grupo tem relutância em aceitá-la. Por isso, sózinha e iluminada pelo luar, canta na esperança de renascer para uma nova vida. Os Jellicle acabam por aceitá-la, por decisão do Old Deuteronomy, um sábio e reconhecido gatarrão, enorme, experiente, simpático e ponderado, que a escolhe para que ela possa renascer.
No final, Old Deut explica aos humanos como lidar com os gatos. Afinal, "os gatos são muito parecidos convosco". É preciso dar tempo ao gato, que é independente, para que a amizade cresça, para que ganhe confiança, para que se sinta confortável. No início, os gatos mostram-se desconfiados e relutantes porque são orgulhosos. Os gatos têm três nomes - o nome que utilizam no dia-a-dia; o nome mais distinto; o nome secreto... E há tipos de gatos como há tipos de pessoas.
E afinal, Old Deut tinha razão, os gatos têm parecenças com os humanos...
Aqui fica a canção que me emocionou (e aos meus vizinhos de fila também que limpavam discretamente os olhos), quem sabe por todos nos reconhecermos nela. E de que maneira...
"Daylight, see the dew on a sunflower
And a rose that is fading
Roses wither away
Like the sunflower
I yearn to turn my face to the dawn
I am waiting for the day
Now Old Deuteronomy just before dawn
Through a silence you feel you could cut with a knife
Announces the cat who can now be reborn
And come back to a different Jellicle life
Memory, turn your face to the moonlight
Let your memory lead you
Open up, enter in
If you find there the meaning of what happiness is
Then a new life will begin"

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...