Avançar para o conteúdo principal

Seminário Internacional "Alterações Climáticas e suas repercussões sócio-ambientais" - NOTA DE IMPRENSA

NOTA DE IMPRENSA

 

Entre 20 e 23 de Agosto de 2012 realiza-se em São Tomé e Príncipe o Seminário Internacional "Alterações Climáticas e suas repercussões sócio-ambientais". A organização do evento é o resultado de uma parceria internacional entre entidades públicas de São Tomé e Príncipe (Direcção-Geral do Ambiente e Direcção de Florestas), Universidades e Centros de Investigação Científica de Portugal (Observatório de Relações Exteriores da Universidade Autónoma de Lisboa e Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa) e espanholas (Centro de Extensión Universitária e Divulgación Ambiental de Galícia e Universidade de Santiago de Compostela), Organizações da Sociedade Civil (MARAPA, Associação Portuguesa de Educação Ambiental, Associação Internacional de Investigadores em Educação Ambiental).

Está prevista a realização de visitas, no âmbito das quais serão desenvolvidas atividades práticas e dois dias (22 e 23) de debates em sala, que decorrerão no Palácio dos Congressos, na cidade de São Tomé.

Para além da reflexão e do debate, marcadamente contextual e de orientação mais teórica, com a realização deste evento procura apresentar-se um contributo pragmático, estando prevista a realização de ações de formação e de intervenção in loco com grupos comunitários, de jovens, escolas, representantes da sociedade civil e de entidades públicas.
Tanto a reflexão como as ações a promover são orientadas a partir de grandes eixos temáticos: o mar; as florestas; a biodiversidade; o turismo; as atividades agrícolas; a pesca; a gestão de rssíduos; e a Educação Ambiental, tendo como grande eixo orientador a cooperação internacional. Por outro lado, os atores que intervêm na identificação local, nacional e internacional dos problemas e das medidas estratégicas a implementar são entendidos como centrais para a troca de experiências e de conhecimentos.

Os resultados que se espera alcançar são: 

1.       contribuir para uma reflexão alargada e debate crítico e construtivo entre atores locais e internacionais; 

  1. dar continuidade a ações anteriormente iniciadas;
  2. reforçar conhecimentos mediante a capacitação de grupos previamente identificados a nível local e que são considerados como grupos-chave para a promoção de mudanças; 
  3. estabelecer parcerias para o desenvolvimento de projetos com equipas interdisciplinares e internacionais

Tal como tem vindo a suceder em eventos anteriores, tratando-se de uma organização em parceria de âmbito internacional com envolvimento de diferentes tipos de entidades, procura-se uma aprendizagem de todos, com o envolvimento de todos porque, acima de qualquer outra preocupação, o que move este tipo de eventos é a construção de mudanças com continuidade, ao longo do tempo, seguindo os princípios da sustentabilidade.

Mais informações em: http://climatechangestp2012.weebly.com ou pelo email climatechange@gmail.com

 

.

 

 

 

Mensagens populares deste blogue

Calulu de Galinha, Pato ou Porco

Este post é dedicado à Helena, uma variação do Calulu de Peixe. Proponho a versão de carne que na minha opinião é incomparavelmente melhor. Uma refeição para preparar com tempo e calma, "leve-leve só", para saborear na tranquilidade de uma boa companhia.Recebi agora mais uma informação interessante - na língua local, não se diz Calulu mas sim Cálu ou Kalu, pelo que o termo que utilizamos (e que sempre ouvi em STP) será uma africanização/aportuguesamento absolutamente desnecessária (Obrigada, amigo Alcídio).Receita de CALULU DE GALINHA, PATO OU PORCO, gentilmente cedida por D. Alcinda Lombá (e transmitida pelo Paco)Ingredientes
Galinha, ou pato ou carne de porco fumada);
Folhas (ponto, maquêquê, galo, ótage, olho de folha de goiabeira, quimi, margoso, mesquito, mússua, damina, matrussu, tartaruga...);
óleo de palma;
beringela;
quiabo;
cebola;
tomate;
pau de pimenta;
óssame;
fruta pão;
farinha de mandioca;
Modo de preparação
Picar as folhas todas e em pedaços pequenos (opcional moer ou ama…

O Tubarão de STP – I Parte

Depois de ter regressado a Lisboa, após a minha última incursão a São Tomé, não há dia em que não me lembre das maravilhas do arquipélago, das suas particularidades, as mais apelativas e as outras... que representam riscos, mas que, por essa mesma razão, têm também o seu “quê” de sedução.
O tubarão de São Tomé é uma dessas particularidades, à volta do qual se tecem considerações, se contam histórias e se criam mitos, a maioria sem certezas. Sempre ouvi falar muito acerca do tubarão e nem sei porquê, talvez por ser um animal pouco simpático, que não permite grandes contactos com o Homem e que, apesar de tudo, existe em grande quantidade por aquelas águas. A maioria revelava desconhecimento sobre tipos e quantidade, principais riscos e ameaças, número de ataques e praias onde aparecem mais frequentemente. Mas as conversas evidenciavam sobretudo medo e desconforto. Havia quem: tivesse terror de o encontrar; dissesse já o ter avistado numa passagem de ano no pontão do Marlin, que era inof…