domingo, 18 de março de 2007

Filme triste

Ontem fui ao cinema. Uma das minhas actividades de lazer que maior prazer me dão. Fui ver um filme inspirado num livro do Somerset Maugham: O VÉU PINTADO. É uma história triste apresentada com segurança, por actores com desempenhos brilhantes, num contexto, a China rural, simplesmente deslumbrante. Paisagens de sonho a enquadrar a pobreza humana no início do séc. XX, algures nos anos 20. E fala de sentimentos, de amores não correspondidos, de entregas desiguais, de expectativas traídas, de isolamento e de solidão, de descoberta que o amor e a paixão são definitivamente estados de alma diferentes, e que o segundo é seguramente menos importante do que o primeiro. E fala de muito mais. E quando esperamos que finalmente tudo se componha, confrontamo-nos com um desfecho trágico. Talvez esperado dado o decorrer dos acontecimentos. Mas triste, desolador, desconcertante, angustiante. E ao sair a porta do cinema dei comigo mesma a pensar – será a vida sempre assim? - “Sometimes the great journey is the distance between two people”...

 

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...