domingo, 18 de março de 2007

Constatação óbvia

Uma coisa aprendera com o que a vida lhe ensinara: os altos são menos frequentes do que os baixos. Não vale a pena a exuberância do sucesso quando, com um grau elevado de probabilidade e uma reduzida margem de incerteza, haverá momentos menos bons. Por isso sorria sempre que lhe diziam que tinha todas as razões e mais algumas para se sentir elevada, uma mente superior, um ser destacado. Não era e não se sentia como tal. A vida tem de ser vivida e apreciada. Com consciência do seu valor, é certo, mas sem excesso de confiança. O realismo é mesmo a atitude mais certeira.

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...