Avançar para o conteúdo principal

Seminário Internacional «Comunidades de Investigação, Aprendizagens e Intervenção»

(para melhor visualização, clicar em cima da imagem ou consultar o site)
CABO VERDE - PRAIA, 24 a 26 de Julho
Encontros lusófonos promovidos por “NEREA Investiga” em parceria com entidades nacionais nomeadamente o Instituto Superior de Educação e o Instituto Pedagógico e a ADAD, pretendem criar espaços de aprendizagem e de intervenção entre actores locais e parceiros com vista ao desenvolvimento de projectos de cooperação ao nível institucional por actores da sociedade civil. Este programa prevê, como resultados, o desenvolvimento de projectos por parte de organismos públicos, universidades, escolas, ONG’s pretendendo levar os diferentes actores sociais a pensar e participar da solução dos problemas e do processo de desenvolvimento dos objectivos do milénio em colaboração com os respectivos Governos e Administração Local. Os conceitos da cidadania e de sociedades sustentáveis pretendem ser trabalhados neste encontro para que os respectivos participantes possam desenvolver projectos de melhoria contínua da qualidade de vida das populações com quem trabalham, por meio de compromissos sócio-ambiental, proporcionados por um programa de educação inter, multi e transdisciplinar em articulação entre a administração e sociedade civil. A partir deste encontro pretende-se que estejam criadas condições para que os participantes possam dar seguimento a parcerias através do desenvolvimento de projectos no âmbito da Educação, Ambiente e Sociedade.

Objectivos: Promover a cooperação entre actores educativos da comunidade luso-galaica capacitando-os para actuar activamente na construção da sustentabilidade local; Disponibilizar instrumentos e materiais pedagógicos que facilitem ao professor a sua tarefa de educação com relevância para o desenvolvimento da cidadania num contexto multicultural; Promover a responsabilidade sócio-ambiental tendo como referência os problemas ambientais globais e as suas interligações nos níveis regional e local; Contribuir para a formação teórico-prática e em metodologias participativas promotoras da Educação Ambiental; Promover a correlação entre os problemas diagnosticados ao nível local, regional, mundial e as Metas do Milénio das Nações Unidas, aprovadas por todos os países para serem atingidas em 2015, colocando os participantes em posição de proporem soluções; e de acompanharem, de forma activa e participativa, as iniciativas que se desenvolvam nesse âmbito; Capacitar os educadores para o exercício de suas actividades de forma a possibilitar a consecução dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio; Promover, no contexto da comunidade educativa, novas formas de governança através de metodologias participativas e de decisão democrática enquadradas pelos princípios da Agenda21 em articulação com os princípios e valores da Carta da Terra e com os objectivos e finalidades da Declaração de Tiblisi; Promover a divulgação de projectos e troca de experiências pedagógicas na área da Educação Ambiental, Cooperação e Desenvolvimento, Participação Social.

Mensagens populares deste blogue

Calulu de Galinha, Pato ou Porco

Este post é dedicado à Helena, uma variação do Calulu de Peixe. Proponho a versão de carne que na minha opinião é incomparavelmente melhor. Uma refeição para preparar com tempo e calma, "leve-leve só", para saborear na tranquilidade de uma boa companhia.Recebi agora mais uma informação interessante - na língua local, não se diz Calulu mas sim Cálu ou Kalu, pelo que o termo que utilizamos (e que sempre ouvi em STP) será uma africanização/aportuguesamento absolutamente desnecessária (Obrigada, amigo Alcídio).Receita de CALULU DE GALINHA, PATO OU PORCO, gentilmente cedida por D. Alcinda Lombá (e transmitida pelo Paco)Ingredientes
Galinha, ou pato ou carne de porco fumada);
Folhas (ponto, maquêquê, galo, ótage, olho de folha de goiabeira, quimi, margoso, mesquito, mússua, damina, matrussu, tartaruga...);
óleo de palma;
beringela;
quiabo;
cebola;
tomate;
pau de pimenta;
óssame;
fruta pão;
farinha de mandioca;
Modo de preparação
Picar as folhas todas e em pedaços pequenos (opcional moer ou ama…

O Tubarão de STP – I Parte

Depois de ter regressado a Lisboa, após a minha última incursão a São Tomé, não há dia em que não me lembre das maravilhas do arquipélago, das suas particularidades, as mais apelativas e as outras... que representam riscos, mas que, por essa mesma razão, têm também o seu “quê” de sedução.
O tubarão de São Tomé é uma dessas particularidades, à volta do qual se tecem considerações, se contam histórias e se criam mitos, a maioria sem certezas. Sempre ouvi falar muito acerca do tubarão e nem sei porquê, talvez por ser um animal pouco simpático, que não permite grandes contactos com o Homem e que, apesar de tudo, existe em grande quantidade por aquelas águas. A maioria revelava desconhecimento sobre tipos e quantidade, principais riscos e ameaças, número de ataques e praias onde aparecem mais frequentemente. Mas as conversas evidenciavam sobretudo medo e desconforto. Havia quem: tivesse terror de o encontrar; dissesse já o ter avistado numa passagem de ano no pontão do Marlin, que era inof…