Avançar para o conteúdo principal

“Conservação em Acção” no Zoo de Lisboa

No âmbito da Parceria estabelecida com o National Geographic Channel no passado mês de Abril, o Jardim Zoológico vai exibir diversos documentários da National Geographic, sobre a problemática da extinção das espécies. Cada documentário estará em exibição durante um mês gratuitamente e com horários previamente definidos, no auditório do Parque.

"Batalha pelos Rinocerontes", "A Crise dos Felinos" e "Chimpanzés em Perigo" são os três filmes em exibição durante os meses de Janeiro, Fevereiro e Março respectivamente. Todos os filmes serão lançados com uma pequena palestra seguida de debate sobre o tema abordado e um encontro com os tratadores dos animais. A participação no dia de lançamento só é possível mediante marcação e terá um custo de 30,00€.

As acções complementares que integram esta iniciativa visam aprofundar os temas abordados nos documentários, ao mesmo tempo que alertam para a problemática da extinção das espécies selvagens e para a protecção da natureza.

Esta iniciativa é especialmente pensada para estudantes e professores das áreas de ciências, biologia, medicina veterinária e zoologia e tem como principal objectivo proporcionar uma aula diferente, com um contacto mais próximo da realidade. Mas todos estão convidados a participar!

Todas as escolas e Universidades que participarem nesta iniciativa estão ainda a contribuir para a angariação de fundos para o Fundo de Conservação in-situ (no habitat natural) do Jardim Zoológico.

Jardim Zoológico

O Jardim Zoológico (JZ) é uma instituição privada de utilidade pública sem fins lucrativos. O JZ é hoje um dos mais conceituados Parques temáticos do mundo e com uma das maiores colecções zoológicas, cerca de 2000 animais distribuídos por 350 espécies. A missão do JZ traduz-se na preservação das espécies em vias de extinção, garantindo a sua reprodução, o seu bem-estar e a melhoria contínua da sua qualidade de vida. Participa em 55 EEP's - Programas Europeus de Reprodução de Espécies Ameaçadas, sendo o coordenador do EEP do Saguim imperador.

O Jardim Zoológico tem, também, um papel bastante activo nos programas de conservação in-situ (no habitat natural) e é o coordenador do Programa de Conservação do Saguim-cinzento na Colômbia, que em 2005 recebeu o Prémio de Melhor Programa de Conservação da EAZA (Associação Europeia de Zoos e Aquários).

National Geographic Channel

O National Geographic Channel (NGC) assume-se como uma proposta  de televisão dinâmica e inovadora - oferecendo uma excitante mistura de aventura, ciência, história natural e histórias de interesse humano – que propõe uma nova maneira de olhar o mundo.

Com o objectivo de comprometer e entreter os espectadores mundiais, o NGC disponibiliza uma programação de cariz educacional, cujos conteúdos privilegiam programas que incentivam o seu público a comprometer-se com as problemáticas do mundo real como a conservação, apostando em inovadores programas educacionais que trazem a geografia à vida.

 

Mensagens populares deste blogue

Calulu de Galinha, Pato ou Porco

Este post é dedicado à Helena, uma variação do Calulu de Peixe. Proponho a versão de carne que na minha opinião é incomparavelmente melhor. Uma refeição para preparar com tempo e calma, "leve-leve só", para saborear na tranquilidade de uma boa companhia.Recebi agora mais uma informação interessante - na língua local, não se diz Calulu mas sim Cálu ou Kalu, pelo que o termo que utilizamos (e que sempre ouvi em STP) será uma africanização/aportuguesamento absolutamente desnecessária (Obrigada, amigo Alcídio).Receita de CALULU DE GALINHA, PATO OU PORCO, gentilmente cedida por D. Alcinda Lombá (e transmitida pelo Paco)Ingredientes
Galinha, ou pato ou carne de porco fumada);
Folhas (ponto, maquêquê, galo, ótage, olho de folha de goiabeira, quimi, margoso, mesquito, mússua, damina, matrussu, tartaruga...);
óleo de palma;
beringela;
quiabo;
cebola;
tomate;
pau de pimenta;
óssame;
fruta pão;
farinha de mandioca;
Modo de preparação
Picar as folhas todas e em pedaços pequenos (opcional moer ou ama…

O Tubarão de STP – I Parte

Depois de ter regressado a Lisboa, após a minha última incursão a São Tomé, não há dia em que não me lembre das maravilhas do arquipélago, das suas particularidades, as mais apelativas e as outras... que representam riscos, mas que, por essa mesma razão, têm também o seu “quê” de sedução.
O tubarão de São Tomé é uma dessas particularidades, à volta do qual se tecem considerações, se contam histórias e se criam mitos, a maioria sem certezas. Sempre ouvi falar muito acerca do tubarão e nem sei porquê, talvez por ser um animal pouco simpático, que não permite grandes contactos com o Homem e que, apesar de tudo, existe em grande quantidade por aquelas águas. A maioria revelava desconhecimento sobre tipos e quantidade, principais riscos e ameaças, número de ataques e praias onde aparecem mais frequentemente. Mas as conversas evidenciavam sobretudo medo e desconforto. Havia quem: tivesse terror de o encontrar; dissesse já o ter avistado numa passagem de ano no pontão do Marlin, que era inof…