quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

O tempo dos sítios

Teremos nós um tempo para os sítios ou terão os locais um tempo pré-definido para serem vividos por nós? Haverá um limite temporal, que desconhecemos, que nos faz olhar para as experiências vividas como irrepetíveis? Haverá algum momento nas nossas vidas em que se dá o clique e, ao fim de muito insistirmos, acabamos por perceber onde é o nosso verdadeiro lugar? Haverá alguma situação que nos obriga a carregar no interruptor e a ouvir o tal clique que nos indicia que é o momento ideal para a mudança porque deixou de fazer sentido continuar a insistir naquilo que não nos serve? Há muitos anos andei à procura de mim mesma em paragens longínquas sem me encontrar e hoje, nessas mesmas paragens, percebo quem sou e onde quero estar... 

Em São Tomé, a 10/09/2014

A internacionalização de Lisboa. Paradiplomacia de uma cidade

Motivo de ORGULHO!!! Um projecto que deu um infinito prazer multiplicado por muito trabalho, stress qb e um verdadeiro espírito de colabora...