quinta-feira, 17 de agosto de 2006

Alturas

Até podia ser um post sobre montanhas, mas não. É mesmo sobre alturas, fases, épocas. Podia até dizer que há dias, mas já o tenho dito tantas e tantas vezes que não tarda estou a repetir-me, apesar de ser verdade. Pois bem, há alturas em que o miolo se esgota, parece que mirra até, quiçá do calor ou do arrefecimento repentino. Ou simplesmente do stress. Quem diria que em pleno Agosto há quem se sinta stressado... quando a maioria está de férias e na descontra. Pois eu... sinto-me! E muito, por sinal. E em alturas como esta, o miolo resiste e bloqueia, recusa-se a pensar mais do que deve, faz greve à racionalidade e deixa-se embalar pelo morninho do dia e das ternas recordações. Há alturas em que, apesar de tudo e do que mais seja, ou venha, é bom sentir o tempo passar, devagar devagarinho, leve leve e sem pressas, sem angústias e sem pressões. E principalmente ter consciência disso!!!

 

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...