quinta-feira, 15 de junho de 2006

Petiscar

É bom petiscar e é muito melhor preparar os petiscos que nos vão deliciar. É engraçado que quase tudo o que dá prazer nesta vida demora mais tempo a preparar do que a usufruir. E isso é muito magnífico. A preparação tem um sabor muito especial. Em tudo! É bom ir para a cozinha e, sem ter ideia do que vai ser o jantar, começar a criar: identificar os alimentos e combinar os paladares, nem que seja de forma imaginária para mais tarde ser testada.
Sempre disse a mim mesma, e a todos os outros, que beringela era um daqueles legumes que, além de feios, cheiravam mal e sabiam pior. A igualar só mesmo a alcachofra, pensava eu. Bem, este vegetal ainda não me convenceu mas a beringela é magnificamente saborosa e actualmente não há semana em que não a compre. Dá para tudo e, por ter um ligeiro sabor apimentado, faz maravilhas se temperada com alho picado e orégãos, humedecida com azeite e cozinhada no forno. Depois, com queijo derretido por cima... é a loucura! Eu que não gostava de beringela porque tinha uma imensa resistência, acho que ao aspecto estranho, hoje sou uma beringelodependente. Já sei que o termo não é bonito mas a verdade é mesmo essa.
É bom, muito bom mesmo criar e recriar pratos, experimentar novos paladares ou conjugar alguns dos que já nos são familiares. Comer é um prazer muito grande e é uma infelicidade que inconscientemente pense que tenho de me conter, sem o conseguir. O resultado é estar mais “preenchida” e logo agora que estamos a chegar ao Verão... Mas também é muito bom cozinhar. Se calhar devia mesmo era ter um restaurante!!!

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...