domingo, 31 de julho de 2005

Uma amizade fantástica


Eu e o meu cão fomos amigos verdadeiros, daqueles que, pela reciprocidade, é raro encontrar. O Porthos, Bumba para os amigos, foi um cão fantástico em todos os momentos nos 12 anos em que fez parte da minha vida. Tenho saudades dele. Muitas. Infinitas. E hoje mais do que nunca. Um cão amigo, fiel, companheiro de brincadeiras e atento nas tristezas. Um dartacão verdadeiro, um mosqueteiro por natureza, o meu preferido porque gordo e bonacheirão, sempre bem disposto e pronto tanto para um programa diferente e aventureiro como para dormitar na sala ou por onde eu ficasse. Aqui fica um breve registo dos dois. Para quem não o conseguir vislumbrar na primeira imagem, tem a segunda.

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...