domingo, 30 de dezembro de 2007

Dúvidas sem resposta

Nos últimos dias tenho dado comigo a questionar alguns comportamentos que cada vez mais estão a ser banalizados como se fossem a normalidade. Aqui ficam algumas das dúvidas para as quais, até agora, não encontrei resposta (e todos os que tenho questionado também não):
1. Porque é que nas casas de banho públicas (centros comerciais, cafés e restaurantes, por exemplo) os utentes não puxam o autoclismo, deixando a sanita simplesmente inundada de papel, entre outros objectos que quem quer que venha a seguir certamente não deseja encontrar (e imagine-se quem tem a ingrata tarefa de limpar...)? Será que em casa fazem o mesmo????
2. Depois da publicidade informativa que temos vindo a assistir sobre o número de mortes em acidentes de viação, os condutores deste simpático país continuam a conduzir como se já tivessem ao seu dispor o remédio para a eternidade. Sentir-se-ão intocáveis????
3. Falando de Ambiente, a consciência colectiva portuguesa insiste e persiste em não separar, não reutilizar e não reciclar. Porquê???
4. Porque é que nos locais públicos fechados onde ainda se fuma, os fumadores além de imporem o fumo desagradável para quem não fuma, preferem atirar as beatas para o chão do que colocá-las num cinzeiro depois de as apagarem????
E voltarei às dúvidas sem resposta porque há mais!!!!

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...