sexta-feira, 16 de março de 2007

O que não muda

E ontem acabei por ouvir um elogio, dito sem essa intenção, a propósito do meu carácter directo e da sinceridade que me assiste: “há coisas que nunca mudam e uma delas é a Brígida”. E, na verdade, isso é magnificamente bom!!! E também espero assim continuar por muitos e bons anos, tantos quantos ainda viver, porque é sinal que jamais me transfomei numa pessoa cínica, dissimulada, estudada, trabalhada e sem graça! E é sinal que continuo a ter sonhos e ideais, e a lutar por eles, mesmo quando tudo parece contrariar a vontade. E ainda quer dizer que, quando me deito, durmo com os anjos um sono muito descansado ;-)

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...