sábado, 3 de fevereiro de 2007

Desejo... e pureza (ou será o contrário?)

"Sabes que não sei muito mais
Do que aprendemos os dois
Em livros secretos
Tentámos fazer melhor
Como dois cristais cor de anil
Que se olham de frente e perfil
Pureza e desejo
E um toque de mão gentil
(...)
Cravejámos de ondas e sal
Não quisemos ver o areal
Deserto das cores
Com que pintámos amores
Não quero saber muito mais
Só quero saber se onde vais
Regressaste a ti?
Só quero ver-te feliz
Quero ver se não respondes,
Desta vez puxei por mim
Canto, voa
No bico de um colibri
Se quiseres fazer de conta
Que não viste como eu vi
O fogo que arde
No peito de um colibri
(...)"

Luís Represas

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...