quarta-feira, 18 de outubro de 2006

Duplas interpretações

Há frases que podem ser absolutamente inspiradoras, se bem que, na génese, traduzam uma mensagem ingénua. Hoje peguei num caderno que estava guardado há um bom par de anos, comprado em tempos em São Tomé e Príncipe e que, vá-se lá saber porque razão, tem ficado numa prateleira sem nunca ter sido iniciado. O aspecto é o mais simples possível, de capa muito fina e sem pretensões, as folhas pouco numerosas e sem qualidade e, apesar de ter sido comprado em África, é certamente made in Taiwan, pelos símbolos e imagem que a capa contem. Apesar de ser fracote de aspecto e qualidade, quando o comprei, por certo, paguei quatro vezes o seu valor real. Efeitos do mundo globalizado, portanto. Mas o mais fantástico é que os meus olhos fugiram de imediato para uma frase que deu azo à minha fértil imaginação, fazendo-me sorrir...:“There are a lot of angels like me who would love to play with you”...

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...