sexta-feira, 4 de novembro de 2005

Guiné... ai Guiné...

Tenho de confessar:

o Nino Vieira surpreendeu-me.

Não esperava uma "acção interventiva" desta natureza tão cedo.

Ele antecipou todas as minhas expectativas.

Para ser o mais honesta possível, devo admitir que não sei o que pensar e muito menos o que dizer.

Quando ouvi as primeiras notícias na rádio, senti um aperto no peito por incompreensão, desilusão, desassossego, desconforto.

Há que dizer: BASTA a esta “amputação” legalizada da Democracia, à noção de tudo se poder fazer quando se está legitimado pela loucura do poder, pela ambição desmedida e pelo descontrolo na gestão das relações e do próprio Estado.

A Guiné merece muito mais do que conflitos em permanência.

A Guiné precisa de organização, de tranquilidade e de encontrar o seu rumo próprio no caminho da PAZ.

É motivo para dizer: ESTABILIDADE PRECISA-SE!

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...