quarta-feira, 24 de agosto de 2005

O 1º ano da vida de um Blog

O “África de Todos os Sonhos” faz hoje, dia 24 de Agosto, um ano!

Quando o criei nunca pensei que tivesse condições para chegar até aqui.

Comecei por teclar textos e pensamentos que fui escrevendo durante as minhas viagens ao continente que nos fica na alma após o termos visitado pela primeira vez, e este começou por ser um blog de “sistematização de emoções e de vivências” traduzidas em palavras. Daqui a tudo o que ficou registado ao longo de doze meses foi um pequeníssimo passo. Fui-me entusiasmando pouco a pouco, “leve leve só”: recriando algumas situações; relatando outras; dando vida a outras eternizando-as como forma de as eliminar para sempre da minha vida; repesquei ainda outras que julgava perdidas e que se revelaram promissoras.

Escrevi muito mais do que poderia pensar inicialmente e escrevi um pouco acerca de tudo, muitas vezes ultrapassando o primeiríssimo princípio: África, “a minha”, e os sonhos a que me permiti durante as viagens que efectuei. Mas continuo a sonhar e África permanece no meu horizonte porque creio que já faz parte de mim, ou talvez seja eu que faço parte daquele maravilhoso continente... Não sei e isso também não é importante. O que conta é que hoje tenho a estranha, e por vezes assustadora, sensação de não me conseguir disciplinar de forma a parar. Apetece-me continuar: escrever, criar, partilhar e dialogar. É que também nunca pensei que viesse a gostar tanto da opção “comentários”. Revelaram-se fantásticos e muito saborosos.

E queria dizer-vos que devo, em primeiro lugar, este ano de vida do “África de Todos os Sonhos” a todos os que me lêem, que começaram por me escrever directamente, quando eu era uma resistente à troca partilhada de opiniões e de sugestões, e que hoje comunicam comigo através do meu e-mail, da caixa de comentários e dos seus próprios blogs, que consulto com regularidade. Se eu “perdi a cabeça” ao criar este blog, vocês fizeram com que ele ganhasse vida e por isso partilho a minha alegria com todos.

Muito obrigada e, se me é permitido fazer um pedido: continuem a visitar-me por aqui.

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...