sexta-feira, 20 de maio de 2005

Deixa-me...

Deixa-me chorar e gritar, pensar e concluir, sorrir, rir e gargalhar.

Deixa-me aconchegar no teu abraço e sentir o calor que me transmites, confortando-me.

Deixa-me olhar os teus olhos e entender tudo o que me dizes por palavras e o que omites não falando.

Deixa-me falar sem dizer nada.

Deixa-me conversar sobre qualquer coisa ou sobre tudo.

Deixa-me ouvir os sons, sentir os sabores e ver os tons.

Deixa-me ficar e fica tu também...

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...