segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Há pessoas assim... invejosas e maledicentes... mais vale fugir delas... VÁ DE RETRO!!!! ;-)

"Nunca um invejoso perdoa ao mérito", Pierre Corneille dixit.
E disse com muita propriedade e infinita verdade. Uma troca de ideias sobre alguém que - graças a Deus, aos Santos e aos Querubins - já não vejo há muito tempo, fez-me retomar este pensamento tão bem traduzido no século XVII e que hoje, no século XXI, continua tão actual. Como é possível que passados tantos anos... uns bons 11 ou 12 anos, uma pessoa infinitamente medíocre mantenha a mesma postura...?! Não aprendeu nada com a vida durante esse tempo. E isso, definitivamente não é muito normal... E com isto, lá vou parar ao século XVIII e a Antoine Rivarol quando dizia com assertividade que:
"Circula no mundo uma inveja velocí­pede que vive de intriguinhas: chama-se maledicência. Diz estouvadamente mal do que não tem certeza, e oculta o bem de que tem evidência".

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Eu não gosto do Carnaval!

Os adeptos que me desculpem mas... EU NÃO GOSTO DO CARNAVAL! Até acho alguma graça aos mais pequeninos mascarados - quando os pais cuidam da forma e se preocupam com o resultado. Hoje vi uma hippie, uma sevilhana, uma bruxa e um palhaço que estavam fantásticos, mas atenção que não tinham mais do que 12 anos. Agora.... o espírito carnavalesco da festinha com martelinhos, papelinhos pelo ar, serpentinas a rodopiar pelo pescoço e a emaranhar-se nos pés fazendo-me escorregar como se fosse uma diversão por obrigação faz-me lembrar a superficial excitação da passagem de ano, que resulta também num modelo pré-formatado de diversão porque é o dia. Não, não gosto do Carnaval e menos ainda da importação das mocinhas descascadas numa visualização pré-nua (quando não mesmo nua) em terras onde as temperaturas do ar oscilam entre os 8 e os 10º. Para quê... porquê???? Não estamos no Brasil!!!! - dá vontade de lembrar algumas almas folionas para quem o motivo não é importante, o que conta é soltar o corpo seguindo o ditado de que no Carnaval ninguém leva a mal. Como se pudéssemos antecipar o pico do Verão e tivéssemos a obrigação de estar na praia num dia em que toda a aldeia decidiu molhar os pés. Não, não estou mal disposta nem em dia não, simplesmente não gosto do Carnaval, nem de ajuntamentos e não compreendo o espírito tão pouco genuíno da vivência carnavalesca neste Portugal onde tudo calha...

Kuma di curpo... curpo sta bem

Ontem foi o dia em que conversei calmamente com um amigo que partiu porque teve de se ausentar deste mundo por ter sido chamado para outras...