domingo, 2 de novembro de 2008

Recato precisa-se

O recato nunca fez mal a ninguém e a discrição também não, pelo menos assim o creio. Ser-se discreto pode parecer um comportamento desadequado nos tempos que correm em que para se ser alguém parece ser necessário ser-se desbocado, acelerado, quase a rasar o treslouco. O que está a dar, dizem alguns, é dar nas vistas. Falar alto e de preferência com palavras grosseiras, dizendo mal de tudo e de todos. Vestir espalhafatosamente e quanto menos convencional melhor. Afrontar os outros no olhar e nos gestos. O que interessa é dar nas vistas, seja como for, utilizando que recursos seja necessário porque no fundo o que conta são os fins e não os meios. Pensam alguns e assim vivem. Pois eu não acho. Na verdade, temos dois olhos, dois ouvidos e apenas uma boca. E esta proporção tem certamente uma explicação mais do que certeira!!!

 

A internacionalização de Lisboa. Paradiplomacia de uma cidade

Motivo de ORGULHO!!! Um projecto que deu um infinito prazer multiplicado por muito trabalho, stress qb e um verdadeiro espírito de colabora...