sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Sabedoria platónica

“Nesta terra, assim construída, cresce tudo em proporção – árvores, flores e frutos. Do mesmo modo, também as montanhas e as pedras possuem, na mesma proporção, lisura, transparência e grande beleza de cores, das quais são fragmentos as nossas pedras preciosas, as coralinas, os jaspes, as esmeraldas e quejandas. Aí nenhuma existe que não seja deste género e de maior beleza que as nossas. A causa disto provém de serem puras e não estarem corroídas ou deterioradas, como sucede às nossas, em efeito da corrupção, da água salgada e de tudo quanto aflui a estes lugares inferiores, o que ocasiona não só às pedras, mas à terra e a todos os animais e plantas deformidades e doenças”.

 

Platão in Fédon, pp. 99

 

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...