sábado, 28 de junho de 2008

A árdua tarefa de... organizar!

Organizar não é fácil, está visto. É preciso ir ao encontro dos desejos e das necessidades de uns e de outros e, mais difícil do que tudo isso que só por si já parece ser bastante, é gerir os descontentamentos permanentes e insolúveis. Há que contar com aquela franja de crítica sistemática, de olhar desconfiado e sempre à espreita do improvável. Mesmo que 99,9% corra bem e pensemos que demos o nosso melhor para um resultado magnífico, não nos podemos nunca esquecer que o desagrado em pessoa pode aparecer de repente disfarçado em sorriso, simpatia e palmadinha nas costas. Nããã! Eu já não me deixo enganar. Estou atenta e muito vigilante. Não gosto de conversas cruzadas quando se procura resolver todos os problemas, mesmo os mais insignificantes, os de simples solução. E depois acabamos por perceber que afinal o que não tem relevância adquire proporções inexcedíveis... É fantástica a mente humana quando se dá ao trabalho de desorganizar o que os outros levaram meses a pôr de pé!

 

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...