terça-feira, 13 de março de 2007

Misteriosa fugitiva...

A inspiração é, de quando em vez, uma misteriosa fugitiva que ora se aproxima com ares de quem veio para ficar, ora desaparece sem dizer "até breve", deixando-me quase enlouquecida, furiosa, desassossegada. E normalmente isto acontece quando mais preciso dela... É razão para dizer: porque desapareceste de repente quando os indícios eram tão auspiciosos? Pensas que não tenho mais nada que fazer senão esperar que decidas reaparecer? Pois repara que há relatórios para concluir, texto a publicar para rever, fichas para elaborar, planeamentos para preparar. E tu por onde andas? Certamente que foste ver o pôr do sol neste magnífico final de tarde. Ora... vá lá eu contar contigo... pensas que isto é só sentar e andar? Ah mas não é não! É preciso muito mais do que uma cadeira, uma mesa, um teclado e uma paisagem em frente dos olhos. É preciso concentração e disponibilidade mental para que os dedos passem por cima das teclas como se estivessem a fazer patinagem, sem que a mente dê por isso. E hoje é um daqueles dias fantasticamente improdutivos em que o esforço é bem maior do que o resultado. Entendeste inspiração fugidia? Olha, sabes o que mais? Vou mas é trabalhar e deixar-me de tretas! ;-)

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...