segunda-feira, 19 de março de 2007

Dia neutro

Há dias e bons e maus, dias excelentes em que corre tudo tão bem que parece mentira, e dias de esquecer em que damos connosco a pensar “mas porque será que me levantei hoje da cama? Devia era ter continuado a dormir”. Mas também há dias neutros que correm e flúem, sem nada de particularmente marcante, ora positivo ora negativo. Dias brandos, molengões, pastelões, que vêem e que vão com o vento, que passam simplesmente. E hoje faz vento levantando folhas e fazendo rodopiar poeiras, afastando tudo o que de menos bom poderia contrariar a neutralidade do meu dia.

 

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...