sábado, 31 de março de 2007

Temas compensadores

Não! Não me apetece falar de amor e, na verdade, não tenho nada de muito interessante para dizer a esse respeito. Por isso para quê falar ou escrever, pensei. Antes as imagens dos animais e as mensagens ambientais e de conservação. Esses sim são temas compensadores, que preenchem e que jamais desiludem, simplesmente porque são espontâneos, directos e objectivos, preenchem a alma e o coração e não enganam. Não mentem, nem querem. São aquilo que são, e já está. Ou se gosta ou não!

 

Proteger e conservar 4











Vénias e sorrisos

Rapidamente tento fazer uma passagem regular pelos blogs de eleição e, sempre que consigo, comento um ou outro post. Pois hoje dei com um post no CHUINGA ao qual tinha de fazer uma referência porque me deixou com um sorriso interminável estampado na cara e uma sensação de ego preenchido :-) Como ela diz gostar de macacos, aqui fica um cumprimento cheio de simpatia de um símio guineense :-)

terça-feira, 27 de março de 2007

Proteger e conservar 1





Porque, por motivos diferentes e em graus também distintos, são espécies ameaçadas e em risco. Porque são bonitos e cada um, ao seu estilo e dentro do seu género, é único no mundo. Porque são simpáticos e interactivos. Porque são brincalhões e sociáveis. Porque se parecem muito, mas mesmo muito connosco. Porque são engenhosos e criativos. Porque gostamos de os ver e os achamos simplesmente irresistiveis só por nos fazerem rir. Porque são engraçados e divertidos. Porque são curiosos e aproveitam sempre que podem para nos observar de forma descarada e sem subterfúgios :-) E porque valem muito mais vivos do que mortos e ainda mais em habitat natural do que em cativeiro.

domingo, 25 de março de 2007

:-)

E apesar de ter dormido menos uma hora, que me faz sempre falta, sinto-me contente porque… o dia está maior de novo J

 

sexta-feira, 23 de março de 2007

A Malta do Roque


Primavera... once again!

E não há sombra para dúvidas. Estamos naquela estação do ano que faz sonhar os mais cépticos, sorrir os mais sérios, dançar os mais resistentes. É uma estação alegre e bem disposta em que a esperança tem um novo significado e quase tudo parece fazer sentido. Apetece caminhar ao sol e, depois de um descanso relaxante, espreguiçar devagar devagarinho, sentindo os músculos distenderem-se, um a um. Começo a pensar nas férias e descontraio-me por fim... E dá vontade de respirar fundo, bem fundo, porque o ar parece estar limpo. É de novo a época dos pores do sol coloridos e intensos, prolongando-se para lá do esperado só porque a hora adianta. E é já no próximo sábado. E logo a seguir vem uma noite transparente e brilhante com uma lua alta, sem estar cheia, mas com uma beleza infinita porque acompanhada por constelações de estrelas, aquelas que conheço bem do hemisfério norte. Na verdade, apesar de ter notado as diferenças, nunca me habituei a contemplá-las com cuidado e a reconhecê-las no sul. Há muitos, muitos anos, talvez não tantos quanto isso mas que me parecem uma eternidade, houve quem tentasse ensinar-me a vê-las. O resultado foi péssimo: ou o professor não as conhecia assim tão bem ou eu não tinha mesmo de aprender. O que resta e interessa é que estamos finalmente, e uma vez mais, na Primavera, uma estação bonita e solarenga que, para grande pena minha, não é perfeita. É indissociável do vento e do pólen, das poeiras e dos espirros, dos olhos lacrimejantes, das irritações de pele e dos mosquitos. Lá está... não há bela sem senão...

 

quinta-feira, 22 de março de 2007

Dia Mundial da Água


Hoje é o Dia Mundial da Água. Um site a consultar e explorar AQUI e o cartaz é DAQUI

Ontem foi o Dia da Árvore

Porque infelizmente não plantei nenhuma nem consegui prestar-lhe a devida homenagem, até porque as admiro infinitamente, aqui fica uma tentativa. Às árvores de todo o Planeta porque, além de necessárias por tudo e mais alguma coisa, têm a capacidade de me reconfortar a alma a apaziguar os sentimentos.

segunda-feira, 19 de março de 2007

Dia do Pai

Apesar de não te ver sei que me protegerás sempre. Hoje é um dos teus dias, o Dia do Pai. 

 

Notícia linkada :-)

Cantas bem mas não me embalas

Ouvindo-o discorrer sobre os momentos desastrosos pelos quais a sua vida passara, pensou “cantas bem mas não me embalas”. Há uns bons anos ter-se-ia sentido sensibilizada pelas palavras confusas; há uns bons meses teria certamente querido acreditar que tudo o que ele dizia era verdade. Hoje só lhe apetece dizer “vai falando até te cansares porque não sou eu que te vou impedir, mas quando estiveres cansado cala-te porque nada do que dizes faz sentido e eu não acredito numa sílaba que seja”. E com alguma probabilidade, amanhã levantar-se-á e deixá-lo-á a falar sozinho, coisa que ele nem notará porque, em nenhum dos momentos, se preocupou com o que ela pudesse pensar ou sentir, o que contava era que falava e que alguém o ouvia.

 

Dia neutro

Há dias e bons e maus, dias excelentes em que corre tudo tão bem que parece mentira, e dias de esquecer em que damos connosco a pensar “mas porque será que me levantei hoje da cama? Devia era ter continuado a dormir”. Mas também há dias neutros que correm e flúem, sem nada de particularmente marcante, ora positivo ora negativo. Dias brandos, molengões, pastelões, que vêem e que vão com o vento, que passam simplesmente. E hoje faz vento levantando folhas e fazendo rodopiar poeiras, afastando tudo o que de menos bom poderia contrariar a neutralidade do meu dia.

 

domingo, 18 de março de 2007

Filme triste

Ontem fui ao cinema. Uma das minhas actividades de lazer que maior prazer me dão. Fui ver um filme inspirado num livro do Somerset Maugham: O VÉU PINTADO. É uma história triste apresentada com segurança, por actores com desempenhos brilhantes, num contexto, a China rural, simplesmente deslumbrante. Paisagens de sonho a enquadrar a pobreza humana no início do séc. XX, algures nos anos 20. E fala de sentimentos, de amores não correspondidos, de entregas desiguais, de expectativas traídas, de isolamento e de solidão, de descoberta que o amor e a paixão são definitivamente estados de alma diferentes, e que o segundo é seguramente menos importante do que o primeiro. E fala de muito mais. E quando esperamos que finalmente tudo se componha, confrontamo-nos com um desfecho trágico. Talvez esperado dado o decorrer dos acontecimentos. Mas triste, desolador, desconcertante, angustiante. E ao sair a porta do cinema dei comigo mesma a pensar – será a vida sempre assim? - “Sometimes the great journey is the distance between two people”...

 

Constatação óbvia

Uma coisa aprendera com o que a vida lhe ensinara: os altos são menos frequentes do que os baixos. Não vale a pena a exuberância do sucesso quando, com um grau elevado de probabilidade e uma reduzida margem de incerteza, haverá momentos menos bons. Por isso sorria sempre que lhe diziam que tinha todas as razões e mais algumas para se sentir elevada, uma mente superior, um ser destacado. Não era e não se sentia como tal. A vida tem de ser vivida e apreciada. Com consciência do seu valor, é certo, mas sem excesso de confiança. O realismo é mesmo a atitude mais certeira.

sábado, 17 de março de 2007

I Congresso de EA dos Países Lusófonos e Galiza

Tem lugar em Santiago de Compostela, a 26 e 27 de Setembro próximo, o I CONGRESSO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DOS PAÍSES LUSÓFONOS E GALIZA
«A Educação Ambiental (EA) surge com a vocação de contribuir para a melhoria ambiental a partir de uma perspectiva muito ampla, que inclua a necessidade de clarificar, para cada país de acordo com a sua cultura, o significado de conceitos básicos como “qualidade de vida” e “felicidade humana”(...)»


As PRÉ-INSCRIÇÕES já se encontram abertas, sendo possível enviar propostas para comunicação até 30 de Abril.

Ambiente em STP

Uma boa notícia: o Ambiente em STP está cada vez mais a receber atenções e também a ser objecto de divulgação. Os sites a não esquecer e a consultar com regularidade são
- Gabinete do Ambiente
-
Jardim Botânico do Bom Sucesso
Parabéns aos dinamizadores!

sexta-feira, 16 de março de 2007

O que não muda

E ontem acabei por ouvir um elogio, dito sem essa intenção, a propósito do meu carácter directo e da sinceridade que me assiste: “há coisas que nunca mudam e uma delas é a Brígida”. E, na verdade, isso é magnificamente bom!!! E também espero assim continuar por muitos e bons anos, tantos quantos ainda viver, porque é sinal que jamais me transfomei numa pessoa cínica, dissimulada, estudada, trabalhada e sem graça! E é sinal que continuo a ter sonhos e ideais, e a lutar por eles, mesmo quando tudo parece contrariar a vontade. E ainda quer dizer que, quando me deito, durmo com os anjos um sono muito descansado ;-)

quinta-feira, 15 de março de 2007

Previsão metereológica: ALERGIAS

Acabei de ouvir as notícias na rádio: notícia menos boa para quem sofre de alergias: o aquecimento das temperaturas e o vento, que se vão fazer sentir nos próximos dias, fazem com que os níveis de concentração dos poléns sofram um aumento. Resultado: aumento de espirros, comichão nos olhos e na pele, entre outras.

Olha que bom, era mesmo só o que me faltava... já que não tenho nada para fazer... uma alergiazita é sempre motivo para grande animação no meu sistema imunitário. Pronto, agora que estou avisada, ela que venha!

terça-feira, 13 de março de 2007

Misteriosa fugitiva...

A inspiração é, de quando em vez, uma misteriosa fugitiva que ora se aproxima com ares de quem veio para ficar, ora desaparece sem dizer "até breve", deixando-me quase enlouquecida, furiosa, desassossegada. E normalmente isto acontece quando mais preciso dela... É razão para dizer: porque desapareceste de repente quando os indícios eram tão auspiciosos? Pensas que não tenho mais nada que fazer senão esperar que decidas reaparecer? Pois repara que há relatórios para concluir, texto a publicar para rever, fichas para elaborar, planeamentos para preparar. E tu por onde andas? Certamente que foste ver o pôr do sol neste magnífico final de tarde. Ora... vá lá eu contar contigo... pensas que isto é só sentar e andar? Ah mas não é não! É preciso muito mais do que uma cadeira, uma mesa, um teclado e uma paisagem em frente dos olhos. É preciso concentração e disponibilidade mental para que os dedos passem por cima das teclas como se estivessem a fazer patinagem, sem que a mente dê por isso. E hoje é um daqueles dias fantasticamente improdutivos em que o esforço é bem maior do que o resultado. Entendeste inspiração fugidia? Olha, sabes o que mais? Vou mas é trabalhar e deixar-me de tretas! ;-)

Revista ÁGUA E CULTURA

O número de lançamento da Revista ÁGUA E CULTURA já saiu, em papel só disponível por requisição, e em formato pdf para ser descarregado e lido. Além de fazer parte do Conselho Científico da Revista (pag. 5), colaborei com um texto sobre "A Importância da Água em África" (pg. 30-31). Passem por lá, vejam, comentem e... divulguem!

segunda-feira, 12 de março de 2007

"Foutê bi nô cume"


E ao ver a lua não resistiu a fotografá-la. Aquela imagem fez com que se lembrasse de tempos próximos em que viveu momentos únicos tendo a possibilidade de aprender in loco o que, tantas e tantas vezes, lera exemplarmente descrito em livros. Pensava ela que conhecia África. Mas havia sempre mais qualquer coisa, muitas coisas, para ver, para aprender, para viver!
Ao observar a lua, sempre misteriosa, veio-lhe à memória as laranjas que há tão pouco tempo comera: as cascas cuidadosamente tiradas com uma catana, sendo deixada a película branca e cortado um "chapéu" no topo. Depois, ia-se bebendo o sumo. Era uma tarefa difícil, pensava, e na verdade enquanto os outros comiam 3 ela ficava-se por uma. Nunca pensara conseguir tamanha proeza sem ficar literalmente a escorrer mas, como eles lhe diziam, se os chimpanzés comem, tu também consegues. A questão é que os chimpanzés são muito mais engenhosos do que eu, pensou. E disse, fazendo-os rir.
E depois de ter regressado achava graça olhar para a lua e ver nela uma laranja guineense e com ela ouvir uma vez mais a frase "foutê bi nô cume". E sorriu a pensar que aqueles "fourê" foram para ela exemplos vivos de partilha.

Indicios de Primavera




A Primavera já se sente no ar. Alguns dos meus alunos divagam e sorriem no vazio quando o tema é sério, não por mal mas porque o pensamento fluiu para outras paragens sem que eles o desejassem, o calor apertou no fim de semana fazendo descobrir os corpos e arejar as mentes e..., sinal dos sinais, o bando de aves que anualmente esvoaça em frente da minha janela retomou os exercícios. Aqui estão eles...

domingo, 11 de março de 2007

Revitalização

Ou não fosse eu uma moça nascida e criada em frente do mar. Uma grande parte dos melhores momentos da minha vida passei-a a contemplá-lo, ou a ser observada por ele. O mar está tão presente em mim que nutro por ele um respeito infinito. E, como tenho andado incompreensivelmente derreada, ontem, dia de compras semanais, lá fui até Sesimbra, a "terra da minha infância", como gosto de lhe chamar. O mar estava tranquilo, como quase sempre e tal como o telemóvel permitiu registar, e o calor morno adoçou-me a alma reconfortando-me o coração. Momentos destes são sempre bem vindos porque de grande revitalização. A próxima semana avizinha-se trabalhosa e eu cheia de energia para a receber!!!! :-)

sábado, 10 de março de 2007

Cansaço extremo

Tenho... sonoooooo!!!! Vou dormir porque estou cansada! Mesmo muito cansada... De tanto mexer em tabelas, começo a fazer asneira e a desformatá-las sem perceber como e porquê. Amanhã também é dia. Além do mais... estou aqui presa no escritório desde as 14h com paragem para jantar, apenas! Já são 10h seguidinhas de trabuco... fora os afazeres da manhã. Os olhos ardem e a visão está embaciada. Vou dormir antes que adormeça aqui mesmo em frente do computador... Mas uma coisa é certa, os mapas dos percursos de Cacine e de Bedanda, região de Tombali, sul da Guiné Bissau, África Ocidental, ali pelas proximidades da Guiné Conakry, ali mesmo, ficaram mais do que magníficos!!!! J Trabalho esforçado é bom quando tem resultado. E para terminar... versejei... J

sexta-feira, 9 de março de 2007

Sinais da Primavera em jeito de canção

Quando os meus olhos te tocaram
Eu senti que encontrara
A outra metade de mim
Tive medo de acordar
Como se vivesse um sonho
Que não pensei realizar
E a força do desejo
Faz-me chegar perto de ti
Quando eu te falei em amor
Tu sorriste para mim
E o mundo ficou bem melhor
Quando eu te falei em amor
Nós sentimos os dois
Que o amanhã vem depois
E não no fim
Estas linhas que hoje escrevo
São do livro da memória
Do que eu sinto por ti
E tudo o que tu me dás
É parte da história
Que eu ainda não vivi
E a força do desejo
Faz-me chegar perto de ti
Quando eu te falei em amor
Tu sorriste para mim
E o mundo ficou bem melhor
Quando eu te falei em amor
Nós sentimos os dois
Que o amanhã vem depois
E não no fim
André Sardet

quinta-feira, 8 de março de 2007

Ubuntu - Guiné Bissau

Durante a missão na GB comprei jornais e revistas, aliás como é meu hábito sempre que viajo para África. É umas das melhores formas de nos inteirarmos rapidamente do que se diz, de como se vive e do clima que se pode sentir. Aprendi esta técnica das viagens com o meu pai que gostava de viajar, e fazia-o com mestria, e que, em conjunto com a minha mãe, nos habituou a percorrer mundo com prazer. E lá comprei uma das revistas que estão a ser produzidas e editadas por guineenses em parceria com estrangeiros - Ubuntu. Vai daí percebi que há blog. Aqui fica o link para o UBUNTU

Música para o Mundo

O Goethe – Institut organiza um conjunto de concertos em Lisboa, Maputo, Joanesburgo, São Paulo e Berlim, tentando construir uma ponte musical entre os continentes.
A estreia deste programa intercultural terá lugar sob a forma de um concerto a realizar-se no próximo dia 17 de Março, às 21 horas, no Grande Auditório do Centro Cultural de Belém. O concerto contará com a participação de Céline Rudolph, cantora alemã de jazz, e de um grupo de músicos luso-africanos de Lisboa.
Bilhetes a partir de 5 Euros - Para mais informações contactar:

Vende-se casa em STP

Para os possíveis investidores interessados fica a informação: vende-se uma casa reabilitada em São Tomé e Príncipe, no Pantufo, com vista para o mar. Mais pormenores, bem como os contactos da proprietária, estão acessíveis no blog criado para o efeito.

 

 

Ser Mulher

Região de Tombali, Guiné Bissau, Fevereiro 2007
Não gosto deste dia mas reconheço que, em muitos lugares deste mundo globalizado, faz sentido comemorar certas datas. Marcar este dia como diferente dos outros é reforçar a discriminação que pode existir, ou que existe de facto. E é por isso que, ano após ano, continuo a não gostar. Mas entendo, também cada vez mais, a razão da sua existência.
Em muitos locais do mundo, a mulher não é reconhecida como igual em direitos sendo vista como um acumular de obrigações e de deveres sobre a qual recaem todas as tarefas e mais algumas, por mais pesadas e dolorosas que sejam. E estas são mulheres trabalhadoras, lutadoras, responsáveis, e responsabilizadas desde muito cedo, companheiras, amantes e mães. São elas que sustentam a família e que mantêm a ordem no lar. São incansáveis na procura de uma vida melhor e de conforto para os seus sem que, em muitas situações, tenham tido a possibilidade de os escolher. São conformadas e dedicadas, são seres excepcionais em abnegação e entrega. E, além de tudo isto e muito mais, ainda cantam e, sempre que podem dançam, rindo abertamente porque, se não levarem o dia a dia com a alegria dos tempos de meninas em que tudo era sonho, a vida torna-se um fardo demasiado pesado para ser suportado.
A estas mulheres, um feliz dia!!!

quarta-feira, 7 de março de 2007

Milagres da Natureza


Termiteiras: a paciente e persistente construção das térmites.
Região de Tombali, Guiné Bissau, Fevereiro 2007

terça-feira, 6 de março de 2007

Surpresa

E depois, olhando de repente, percebeu que há horas que ele estava sentado na mesa à sua frente a olhar para ela, observando com curiosidade acrescida todos os seus gestos. Era uma cara desconhecida que certamente acabara de chegar porque se assim não fosse ele já teria dado pela sua presença. Aquela mulher com ares de menina tinha um olhar enigmático, um pouco distante, um pouco ausente, muito incisivo e profundamente perturbador. Há muito que uma mulher não o perturbava tanto e se havia mulheres por ali. Havia-as de todas as qualidades e feitios e não era difícil encontrar uma companhia feminina para um passeio, um almoço ou partilhar um bom momento. A prova era o pouco tempo em que estava sozinho. Também ele gostava de sentir a presença feminina mas sentia o cansaço dos olhares lânguidos e das palavras sempre doces como que a fazer promessas sucessivas. Mas aquela não estava ali para perder tempo e nem aparentava ter tempo para devaneios. Entrou, olhou a sala de relance e cumprimentou os presentes com um sorriso aberto. Sentou-se numa mesa sozinha, que não dava margem a partilhas ou intrusões, tirou um pequeno caderno de argolas que mais parecia um bloco de notas de viagem, ajeitou uma caneta na mão e começou a escrever, vá-se lá saber o quê. E assim esteve durante grande parte do almoço, saboreando os paladares calma e tranquilamente como se o tempo tivesse parado e a vida tivesse ficado suspensa na degustação daquele momento. Depois escrevia e as palavras passavam da caneta para o papel com determinação. Ele saiu da mesa onde almoçara, afastou-se da habitual e numerosa companhia feminina e sentou-se na mesa em frente daquela mulher de quem nada sabia e ficou a observá-la através dos seus olhos escuros sem que ela se apercebesse de que um dia despertara infinitos interesses num homem. Mas, de repente pousou a caneta, levantou a cabeça e, ao olhar para a frente enquanto respirava fundo, os olhares cruzaram-se e fixaram-se um no outro. Os dois sentiram uma estranha sensação. Apesar de se estarem a ver pela primeira vez, sentiam que se estavam a reencontrar depois de um longo afastamento e perceberam que o futuro acabara de chegar...

Inspirado e escrito em Bissau, Fevereiro de 2007

domingo, 4 de março de 2007

E também hoje...

... foi dia de alegria e de partilha. Dia de aniversário de uma das manas. Parabéns uma e outra e outra vez ainda! Por mais 44 pelo menos J

 

E hoje...

… pois hoje é noite de lua cheia. Sem tirar nem pôr. Uma lua fantástica, magnífica, redonda, branca e intensa num fundo escuro e profundo. Há coisas fantásticas nesta vida e contemplar o céu é uma delas. Pelas estrelas e constelações, pelo luar, pelas sensações que estes momentos transmitem e pelos pensamentos que uma e outra, e outra vez ainda, flutuam para locais inimaginados na companhia de pessoas idealizadas em sonhos porque na realidade não poderiam existir por serem tão perfeitamente doces e irrepreensivelmente correctas. Uma noite de luar, quando a lua está cheia e atinge o seu auge, é uma noite completa porque nos cria a eterna, e terna, sensação de que estamos quase lá. Até dá vontade de pensar que... só me falta um “bocadinho assim”... J

 

sexta-feira, 2 de março de 2007

Bissau cosmopolita





Bissau, Fevereiro de 2007

Bissau é uma cidade com várias vertentes e uma delas é sem dúvida o ser cosmopolita, tem movimento e comércio sem fim, desde as ruas mais escondidas de Bissau Velho, passando pelo centro e chegando a Bandim. Mas também tem engarrafamentos em que os protagonistas são: os jipes novos com vidro fumados; os taxis azuis com risca branca, a maioria cansados de tanto andar a recolher ou largar passageiros; os "toca toca" azuis e amarelos desengonçados e sempre a abarrotar, dotados de ventilador natural com a porta traseira incondicionalmente aberta, e um ou outro passageiro meio de fora, ou até pendurado, porque mesmo quando travam "ka tem problema"; os "candonga" que regressam ou partem para destinos certos; as motoretas e as bicicletas que continuam persistentemente a percorrer quilómetros incontáveis. Depois há os pedestres, sempre afoitos a desafiar a velocidade dos carros, como se fosse possível pensar que fariam algo mais do que apitar com vigor cada vez que existe uma intimação sob a forma de tentativa de atravessar a estrada. O movimento em Bissau é alucinante, de tal forma que, em horas de maior congestionamento, encontramos o famoso polícia sinaleiro a tentar regular os cruzamentos. E é curioso como, ao olharmos em volta, a simples percepção nos dá a entender que os carros que circulam, ou mesmo que estão pacientemente parados à espera de ordem para seguir, poderiam formar uma linha recta de cores azul e branco, intercalada por amarelos. São os taxis e os "toca toca"...

Carnaval guineense



20 de Fevereiro de 2007, Carnaval em Bissau, Guiné Bissau

O Carnaval na Guiné Bissau é vivido com intensidade e alegria. É dia feriado e por isso de não trabalho para a maioria, mas também de festa, convívio, dança, máscaras, cerveja e tudo o que mais vier. Também é dia de confusão pela quantidade de gente nas ruas, a subir e a descer, a apitar e a gritar, havendo bancadinhas ao longo das ruas do centro da cidade e nos acessos onde a cerveja escorre com facilidade e rapidez. O Carnaval é ainda um dia de possibilidades. Se não se tiver coragem de fazer algo ao longo do ano, neste dia a legitimidade é garantida. Afinal é costume dizer-se, um pouco por todo o lado, que "no Carnaval ninguém leva a mal". Pelo sim pelo não, como ao que parece este é um dia que pode virar complicação, ao chegar do sul fiquei a dormitar descontraidamente e a recuperar energias...

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...