sábado, 9 de dezembro de 2006

Happy Feet

HAPPY FEET é um filme fantástico, delicioso, ternurento e muito verdadeiro, ou melhor real, critérios que fazem deste um filme obrigatório na época de Natal!
Fala-se de uma comunidade, no caso de pinguins que, desde sempre, viveram felizes e em harmonia perfeita até um dia em que, por coincidência, nasceu Mumble, um pinguim que marcou pela diferença.
Inicialmente foi rejeitado porque, ao contrário de todos os outros, não sabia cantar o canto do amor. A felicidade dos pinguins era determinada pela capacidade de atrair e seduzir um(a) parceiro(a), de forma a constituir família e ter ovos de onde nasciam filhotes de pinguim. Tudo corria bem até ter nascido Mumble, conhecido por Happy Feet, que cantava tão mal como eu, mas que sapatiava de forma exemplar. Mal compreendido por todos com excepção da Mãe (Norma Jean), que o amava incondicionalmente e desculpava por qualquer coisa, e por Gloria, moça pinguim da mesma geração e de voz irrepreensível e beleza extrema que decidiu abandonar tudo e todos por amor, acabando por não o fazer pela negação temporária de Mumble. O Pai, Memphins, revelou-se no final um pinguim decente...
Ninguém acreditou em Mumble e culpavam-no por uma série de situações para as quais ele não se vira pedido nem achado, de tal forma que foi renegado por quase todos e expulso da comunidade. Como acontece tantas e tantas vezes, Mumble decidiu desvendar os mistérios da infelicidade do grupo e resolver o que de mal se passa, ou seja eliminar de uma vez por todas com as injustiças. Juntaram-se-lhe uns pinguins pequenotes de outra espécie, excêntricos e divertidos, mas quase tão determinados como ele, e que ficaram amigos para a vida.
Ao regressar a casa, depois de infinitas provações que a vida lhe pregou, Mumble é finalmente aceite e reconhecido, ficando-lhe todos muito agradecidos pela coragem e determinação na busca da verdade.
Este é mais um filme para crianças que muitos adultos deveriam ser, não aconselhados mas, obrigados a ver e rever até interiorizarem um conjunto de princípios e de valores éticos. Além de tudo o mais... o filme é um exemplo animado sobre acções de Educação Ambiental na vertente do conservacionismo de espécies em risco e ameaçadas de extinção, bem como sobre os efeitos provocados pela acção humana no que toca ao aquecimento global. A ver, portanto!

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...