sexta-feira, 1 de setembro de 2006

Rasgar... papel!

Quando estou muito cansada, como é o caso de hoje em que não só estou cansada como me sinto totalmente exausta, esgotada, no limite, e depois de saber que algumas tarefas difíceis estão por fim cumpridas, sabe-me bem rasgar papéis. Dar por terminadas as versões anteriores que deram origem a uma última, final e definitiva. E depois saber que já está outra tarefa à espera que lhe dê o avanço merecido. Umas horas de descanso para retomar o ritmo, mas desta vez de forma menos acelerada.

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...