domingo, 10 de setembro de 2006

Para "Alguém"

Às vezes tenho a sensação que posso fazer mais por alguém do que aquilo que faço. Ou porque estou desatenta e não percebo que, em determinada circunstância, alguém precisa da minha ajuda, ou porque esse alguém se refugia na sua própria concha sem me deixar uma aberturazinha que seja para uma aproximação. Nem um olhar, nem uma palavra, nem um sorriso, nem... Eu sei que não é por mal... é apenas a forma que tem para tentar encontrar-se em paz consigo mesmo.

Mas... “Alguém”, se por acaso leres esta mensagem, sabes que te é dirigida. E, neste caso, por favor... grita simplesmente “HELP ME” porque eu estarei aqui, sempre, para te ouvir, limpar as lágrimas, fazer uma festa nessa cabeçorra e puxar de quando em vez as orelhas... Mas a vida é mesmo assim... muitas vezes és tu que me fazes isso e outras... posso ser eu... ou não...?!

 

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...