quarta-feira, 23 de agosto de 2006

Telemóveis

Sou cada vez menos adepta do aparelhómetro que facilita as comunicações entre uns e outros. E, sempre que vejo/oiço alguém a falar entusiasticamente pelo quadradinho emissor de raios, dou comigo a pensar: - mas porque será que a maioria das pessoas grita a falar no telemóvel? Não percebo se estão surdas, se têm medo que os outros não as oiçam como deve de ser ou simplesmente porque se esquecem que estão a ser ouvidas, passando a ser alvo de interesse alheio e perdendo a privacidade. É fantástico como gesticulam a discutir ou a explicar qualquer coisa, como se quem as estivesse a ouvir passasse, de imediato, a percebê-las melhor... E quando se apercebem que estão a ser ouvidas, porque é muito bom aproveitar o tempo para observar os outros tentando perceber como vivem, quem são, o que fazem e o que querem da vida, ficam furiosas como se tivéssemos entrado nas suas vidas, não porque elas as expuseram em demasia, mas por nossa vontade própria... A vida humana é fantástica e os telemóveis na vida de cada um... magníficos!!!

 

 

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...