quarta-feira, 21 de junho de 2006

Há que tempos...

Há que tempos que não escrevo sobre alguém, ou para alguém, em particular. Há que tempos que não escrevo sobre sentimentos, os meus. Há que tempos que não escrevo sobre encontros e desencontros. Há que tempos que fujo de o fazer. Porquê? Porque se não escrever não penso e se não pensar não fico lamechas, chata, pieguinhas, saudosa. Hoje, durante um almoço prazeiroso, em conversa acerca de outros quinhentos, dei-me conta disso e também por isso apeteceu-me, muito, escrever isto. Simplesmente porque, às vezes, também é importante ficar assim, com todos os requisitos e mais alguns, pensar e escrever, porque é sinal que o nosso interior não ficou completamente empedrenhido desde a última vez que bateu forte, de forma intensa, arrebatada, angustiada mas feliz, por um alguém!!!

 

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...