quarta-feira, 26 de abril de 2006

Primavera

E, para grande alegria de todos, parece mesmo que o tempo quente está a chegar, o que é infinitamente bom. É altura do espírito se alegrar, do corpo descontrair distendendo os músculos, um por um, de abandonar os cobertores, os sacos de água quente, as camisolas de gola alta e tutti quanti. É a altura ideal para começarmos a habituar a pele às temperaturas reconfortantes, sem termos a sensação desconfortável, e tantas vezes dolorosa, do calor excessivo a queimar os tecidos. E depois, quase nos sentimos no Verão. É uma época simpática em que, ao andarmos na rua, nos cruzarmos com rostos sorridentes e alegres que transbordam exuberância, pela leveza dos movimentos. Na Primavera, a vida tem outro sentido e um sabor particular porque antecipa o Verão. As frutas são doces e sumarentas, as saladas apetecíveis, as esplanadas convidam ao lazer e as praias seduzem pelo cheiro a maresia. As flores cheiram intensamente e os pássaros ouvem-se por todo o lado. Pois a verdade é que tudo seria ainda melhor se eu não sofresse tanto com as alergias primaveris...

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...