quarta-feira, 22 de fevereiro de 2006

Da janela


Da janela do escritório, aliás de uma grande parte da casa, os meus olhos regalam-se e descontraem-se com diferentes paisagens: naturais, humanas e urbanísticas. Hoje que estou "(a)variada" decidi-me a registar o entardecer numa das partes acessíveis ao meu campo visual (e fotográfico). O verde, que a esta hora já está quase negro, o azul do mar que parece violenta e a infinitude do céu, em tons mesclados mas reconfortantes.
Sabe bem olhar lá para fora, apesar do "meu" bando de pássaros esvoaçantes ter feito folga (ou terei sido eu que me atrasei...?!). Está frio, ou sou eu que estou desconfortável?

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...