sexta-feira, 6 de janeiro de 2006

Switch off

Há dias em que apetece pensar e a nostalgia aparece e outros em que a nostalgia aparece sem querermos pensar. Há dias em que apetece apagar o pensamento, fazer switch off, desligar o botão, e ficar simplesmente assim. Sem pensar, sem sentir, sem querer. Apenas gozar a tranquilidade e afastar qualquer resquício de nostalgia que nos pudesse, mesmo hipoteticamente, atormentar a alma, a paciência e amarfanhar o coração. Como se fizéssemos um “chega pra lá” no que já não queremos mais. Mas para isso seria necessário que nos deixassem. Verdade?

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...