domingo, 1 de janeiro de 2006

O regresso

Voltei! E, antes de mais, quero agradecer a todos os que por aqui passaram, enquanto eu descansava, dormia e passeava, e que deixaram comentários, questões, reflexões e desejos. Não pensei em abandonar este cantinho. Não o conseguiria, eu acho. Viciei-me no teclado, na transmissão de pensamentos e principalmente nos vossos comentários, que adoro!. Tudo isto faz parte de mim, o que é muito bom. Mas, às vezes, é preciso pararmos por uns dias. Não de escrever, nem de pensar, mas sim de teclar porque se torna pessoalmente urgente fazer um balanço do que temos sido, não só aqui mas na vida, e pensar o que queremos efectivamente ser daqui para a frente.

Nestes dias dormi (e estava a precisar), comi maravilhosamente bem (e dei de alimento ao anisakis, de forma controlada para que não me estragasse os dias), passeei (e soube bem ouvir o mar), dei pão aos pardais que vivem nas árvores à volta da casa onde estive (e foi muito agradável o contacto com a natureza, aliás como sempre), li (tinha um livro em atraso que me parecia infinito), reflecti (o tal balanço necessário) e pedi desejos (as incontornáveis aspirações segredadas ao ouvido do anjo da guarda, enquanto soavam as 12 badaladas e via quatro frentes de deslumbrante fogo de artifício). Enfim, recarreguei baterias e prometi a mim mesma ser melhor do que tenho sido. Comigo e com os outros. Mas sobre isso falarei depois.

2006 será um ano positivo. Aproveitem-no!!!

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...