sábado, 3 de dezembro de 2005

Tou... doeeeeente...

Estou doente outra vez, o que é sinónimo de sensação miserável, infeliz e de profundo desconsolo. É a segunda vez desde que o Outono começou. Hoje comentava isto com a minha mãe, que é uma das pessoas mais resistentes em relação às minhas “fugas” e aos meus “devaneios” africanos. A verdade é que, apesar de nas Africas pelas quais tenho passado, o clima ser caracteristicamente húmido, é por cá que me dou mal. Constipo-me, passo meses alérgica, rouca e a espirrar incessantemente, a tomar antihistamínicos e antibióticos, com muito mais frequência do que eu gostaria. É verdade... e este é mais um fim de semana de estrafego em que me vou enfiar na cama com um saco de água quente bem cedinho porque só me apetece mesmo dormir. Estou cansada de respirar mal e de ter gatos respiratórios por companhia. Vou dormir...

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...