sexta-feira, 21 de outubro de 2005

Aproveitar a Vida

Hoje fui a Cascais e no regresso, fui mudando o posto do rádio, que só passava músicas inaudíveis, até chegar à RDPÁfrica onde a música alternava com conversa. Falava-se de aproveitar a vida: o que é e quais as melhores formas de o fazer. Claro que me detive no 101.5 FM porque, além da música africana ter a particularidade de me aquecer a alma, gostei de ouvir as entrevistas aos ouvintes. E o tema, que pode ser lido aqui, foi-me tão útil que dei comigo a pensar que, nos últimos tempos tenho feito muitas coisas, umas que me dão mais prazer do que outras, e muitas mais irei fazer nos próximos tempos. Mas aproveitar verdadeiramente a vida, todos os momentos, ou a maior parte deles... bem, disso tenho-me esquecido. E na verdade, há que aproveitá-los ao máximo porque aqueles que passam não voltam, por mais que os queiramos repescar. E o JPMartins, o animador do programa, teve a proeza de fazer com que eu parasse o carro junto ao mar, apesar do vento e do céu enfarruscado que pairava sobre a minha cabeça, saísse e sentisse toda aquela energia revigorante. Fechei os olhos, com as ondas a bater com força na falésia, ouvi o som do mar, as gaivotas na alegre vidinha esvoaçante, e senti-me a descontrair. Foi bom porque, além de andar a pé, exercitei o espírito, soltando-o das nuvens que teimavam em ensombrar os pensamentos e as recordações. E depois, conscientemente admiti para mim mesma que o local onde vivo é mesmo muito bonito e tem muitas vantagens. Agora chove lá fora, e quase não distingo o mar do céu por ambos estarem cinzentos, mas a minha alma azulou e clareou. É motivo para dizer: obrigada JPMartins!

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...