segunda-feira, 5 de setembro de 2005

Irritação...

Ao contrário da maioria das mulheres que sentiam frustração afectivo-emocional, ela não culpava a subespécie humana masculina pela ansiedade angustiada que a assolava de quando em vez, quase sempre motivada pelo mesmo estímulo. Nem atribuía culpas exageradas ao próprio estímulo, apesar de identificar claramente e de reconhecer qual era a causa para o seu estado. Em consciência, irritava-se apenas consigo própria porque, conhecendo-se tão bem a si como aos outros, acabava sempre, e de forma inacreditável, por cair no mesmo tipo de armadilhas.

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...