sexta-feira, 30 de setembro de 2005

Dias

Todos os dias são dias especiais, os motivos que os diferenciam de todos os outros dias é que mudam, de dia para dia e de pessoa para pessoa. Hoje, tal como tantas outras vezes em que isto me acontece, lembrei-me de alguém que um dia se diferenciou e que, com o tempo, foi continuando a destacar-se. Primeiro de forma positiva porque se aproximou, cativando, ganhando espaço e captando os afectos de forma ímpar. Depois pelo lado mais negro que conseguiu manifestar, afastando-se, descartando a afeição e trocando-a por um copo de gin, de whisky, de vinho tinto, ou de tudo isto misturado, sabe-se lá se com algo mais. E a distância aumentou, cresceu e nunca foi reduzida porque a vontade não voltou e a mágoa não o permitiu. Esta será, para sempre, uma lembrança marcada pela diferença e pela particularidade.    

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...