sexta-feira, 30 de setembro de 2005

Francisco Gomes de Amorim




Enviaram-me um mail fantástico com informações imperdíveis, tanto de texto como de imagem, para quem gosta de África. Francisco Gomes de Amorim é de quem se fala e o autor das aguarelas que ilustram o post. Fantástica a imagem que ele nos transmite do Forte de STP, e de Pemba, e da mulher africana... Imagens de quem tem África no coração: "A vivência em África é coisa que não esquece, como aliás quase todos os lá viveram. Os que foram capazes de "viver África". E muitos foram."

Dias

Todos os dias são dias especiais, os motivos que os diferenciam de todos os outros dias é que mudam, de dia para dia e de pessoa para pessoa. Hoje, tal como tantas outras vezes em que isto me acontece, lembrei-me de alguém que um dia se diferenciou e que, com o tempo, foi continuando a destacar-se. Primeiro de forma positiva porque se aproximou, cativando, ganhando espaço e captando os afectos de forma ímpar. Depois pelo lado mais negro que conseguiu manifestar, afastando-se, descartando a afeição e trocando-a por um copo de gin, de whisky, de vinho tinto, ou de tudo isto misturado, sabe-se lá se com algo mais. E a distância aumentou, cresceu e nunca foi reduzida porque a vontade não voltou e a mágoa não o permitiu. Esta será, para sempre, uma lembrança marcada pela diferença e pela particularidade.    

quinta-feira, 29 de setembro de 2005

Convite para participação no Fórum sobre TURISMO E COMBATE À EXCLUSÃO SOCIAL

Entre os dias 30 de Setembro e 22 de Outubro, vai ter lugar on line o Fórum de discussão com o tema “Desenvolvimento Económico e Social do Território através do Turismo nos Países Lusófonos, como ferramenta de combate à Exclusão Social”, no âmbito do Programa “Estratégias e Técnicas de luta contra a Exclusão Social e a Pobreza”, uma iniciativa da Organização Internacional do Trabalho.

Enquanto moderadora do Fórum, venho convidar todos os interessados a reflectir em conjunto, apresentando os seus contributos, colocando dúvidas aos especialistas convidados, partilhando experiências e apresentando casos de sucesso, bem como divulgando as principais dificuldades sentidas. África continua no horizonte!

Os principais links para facilitar o acesso são:

Inclusão Social nos PALOP, Site web dedicado à luta contra a exclusão social e a pobreza

FÓRUM DE DISCUSSÃO E ASSISTÊNCIA TÉCNICA

GUIA DE UTILIZAÇÃO DO FÓRUM

REGRAS DE USO

PARA CONHECER OS :

- PROMOTORES LOCAIS

- MODERADORES

- CONVIDADOS ESPECIAIS

PARA EFECTUAR O REGISTO E O LOG IN:

Tema de discussão:
Desenvolvimento económico e social do território através do turismo nos países lusófonos, como ferramenta de combate à exclusão social.
Este fórum é uma iniciativa da Organização Internacional do Trabalho (OIT) através do Programa "Estratégias e Técnicas de luta contra a Exclusão Social e a Pobreza" (STEP), em colaboração com o Centro Informático de Aprendizagem e de Recursos para a Inclusão Social (CIARIS).
Algumas das prioridades da OIT são a luta contra a pobreza e a exclusão social, e a promoção da inclusão, através da adopção de um conjunto de medidas que respeitam tanto ao alargamento da protecção social da população carenciada como à promoção do trabalho digno. Os grupos-alvo vivem em situação de pobreza, o que se traduz em privação, decorrente da insuficiência ou da ausência total de regular rendimento familiar, evidenciando incapacidade de consumo para satisfazer necessidades consideradas básicas e de bem estar, e usufruir de uma vida condigna. Esta população classifica-se de pobre, podendo ou não desencadear situações de exclusão, no sentido da emergência de processos de desintegração social de natureza socioeconómica, familiar, cultural e política.
Através da recolha dos contributos dos participantes do Fórum, procura-se reflectir em conjunto sobre a problemática do turismo, entendido como um meio importante, porque potencial, no combate à pobreza e à exclusão social, promotor de inclusão dos grupos a viver em situação de vulnerabilidade, bem como de sustentabilidade comunitária.
A participação dos membros é incentivada com o objectivo da aprendizagem pela partilha de experiências, conhecimentos, informações e ideias, mas também do esclarecimento de dúvidas específicas e do apoio técnico por especialistas nas áreas em análise. O Fórum reúne assim as condições para o diálogo aberto, resultando do debate e da discussão de ideias, mas também para a assistência técnica à distância, aspectos que lhe conferem um carácter particularmente inovador e pioneiro.
(...)
O turismo é um sector de actividade económica que, pelas características implícitas, promove mudanças a vários níveis, sendo simultaneamente portador de riscos e de oportunidades: é um fenómeno multidimensional que engloba várias vertentes, tais como a económica, a política, a ambiental, a demográfica e a sociocultural.
O desenvolvimento turístico sustentável é um processo com tripla acção: a sustentabilidade sociocultural; a sustentabilidade ecológica; a sustentabilidade económica. A relação entre as três dimensões é efectivada, pela garantia de preservação ambiental, atribuindo autonomia às comunidades locais, respeitando a cultura e os valores de origem, reforçando a identidade comunitária, salvaguardando o desenvolvimento económico e assegurando a sua utilização pelas gerações futuras.
O turismo pode ser assim entendido como um meio privilegiado de combate à pobreza e à exclusão social já que, por um lado, cria novas oportunidades para as populações locais, permitindo, de forma complementar, a revitalização socioprofissional e económica das famílias e, por outro lado, viabiliza a emergência de mecanismos tendentes ao reforço identitário e à revalorização das redes de sociabilidade comunitárias, traduzidas em solidariedades de grupo e geradoras de autonomia.

Brígida Brito
Ler o texto completo

quarta-feira, 28 de setembro de 2005

Outono

Algumas tradições ainda são o que eram e fazer marmelada no início do Outono é uma delas. É um ritual magnífico porque requer alguns cuidados prévios: ir ao local certo comprar marmelos, preferencialmente nacionais (os de Israel e Espanha não têm o mesmo sabor); escolhê-los quando ainda são novos e bem amarelos, porque são mais tenros e doces, não precisando de se juntar tanto açúcar; descascá-los; lavá-los; juntar-lhes a quantidade de água necessária para que cozam e apurem com a cor ideal, nem demasiado escuros, nem excessivamente claros, mas com um ligeiro toque avermelhado. Depois, colocá-los no fogo, como se diz em África, e deixá-los sozinhos, o tempo que eles precisarem para apaladarem, enquanto os espreitamos de quando em vez, até sentirem a necessidade de serem mexidos e remexidos com carinho e atenção, chegando ao ponto, quase caramelo, fazendo estrada e dando-nos a sensação de estarem com a consistência desejada, já que não devem ficar líquidos nem completamente espessos. Eu gosto muito de cozinhar, mas fazer marmelada é uma das minhas actividades preferidas na cozinha, que identifico com o Outono, a fantástica estação do recolhimento e da interioridade. Tal como tudo nesta vida, este é um trabalho de paciência e que requer atenção para que a degustação seja perfeita.

Sobre a amizade

Há temas que são redundantes e de passagem obrigatória quando um homem e uma mulher se encontram, se conhecem e convivem durante um certo período de tempo, podendo ou não ter tido uma relação afectiva de proximidade, com revolução de sentimentos pelo meio, mais ou menos exteriorizados e partilhados com reciprocidade. Um desses temas incontornáveis é: É POSSÍVEL A AMIZADE ENTRE UM HOMEM E UMA MULHER, SEM QUE A ATRACÇÃO SE IMPONHA E PREVALEÇA? Ou seja, É POSSÍVEL QUE SE CONTINUEM A RELACIONAR COMO SIMPLES AMIGOS? É engraçado que ainda não cheguei a conclusões brilhantes porque o debate destas ideias peca por falta de coincidência e de acordo entre as partes.

A verdade é que sempre quis acreditar na viabilidade deste tipo de relações. Afinal se partilhámos a vida de alguém, no que ela tem de bom e de mau, de forma oficializada ou não, se conhecemos os seus problemas, os desejos mais profundos e mais escondidos, as maiores qualidades e os piores defeitos, e se sempre fomos aceitando e procurando compreender os pequenos grandes quês de cada um, porque não poderemos continuar amigos, depois de percebermos que não podemos continuar como mais do que isso?

E aqui fica a minha dúvida... não será a amizade também uma forma de amor, de atracção e de eternização dos sentimentos que, por uma qualquer razão, não podem ser continuados de forma sexuada? Será necessário riscar as pessoas do sexo oposto, principalmente aquelas que já nos atraíram, do nosso cosmos amigável e relacional? Teremos de deixar de nos encontrar, de conversar e de partilhar preocupações e receios, dúvidas e problemas, sucessos e alegrias?

Não, eu não quero pensar assim, apesar de ter a mais completa noção de que a maioria pensa. Eu quero continuar a ter amigos homens e nesta categoria obviamente quero incluir os motivos da minha revolução afectiva!

Confissões

Publicidade... AQUI NÃO!

Amigo(a)s:

não sou a primeira nem serei certamente a última alma blogueira que revela alergia à publicidade nos comentários, principalmente em inglês. Já sei que cada um vai fazendo pela vida conforme pode ou quer e também já sei, e reconheço, que há dias em que o meu cansaço e mau feitio se revelam sob a forma de intolerância ou falta de flexibilidade para com algumas atitudes alheias, menos respeitadoras ou adequadas. É verdade... fico absolutamente IRRITADA com a publicidade promovida a sites eróticos e/ou comerciais no “África de Todos os Sonhos”, blog que gosto cada vez mais de denominar como o “meu espaço”, onde partilho sentimentos e ideias, porque aqui sinto-me verdadeiramente eu, quase sem ter de utilizar filtros.

Assim sendo, caríssimos, apelo que no espaço vocacionado a COMENTÁRIOS, sejam apenas efectuados os ditos, sem inclusão de outro tipo de mensagens que, por não serem adequadas nem desejadas, serão de imediato apagadas. Dá um pouco de trabalho, mas é uma tarefa absolutamente exequível.

Chamem-lhe censura, mau feitio, intolerância ou outros atributos quaisquer. Mas aqui não se admite publicidade a sexo, mais ou menos, explícito, sob a forma de sites com referência a links específicos ou contendo contactos directos. E também não se aceita a introdução de informações direccionadas para a comercialização de qualquer bem. Aqui nada se vende! E aqui as vendas não são desejadas, quaisquer que elas sejam!

terça-feira, 27 de setembro de 2005

É já amanhã

Decisões...

Há decisões que, de tão difíceis, requerem uma reflexão profunda e apurada, com ponderação das diferentes possibilidades e definição de cenários consequentes, para que a certeza de ser a melhor num determinado momento da vida seja maior do que o receio de uma má opção.

Mas há outras decisões que são tão importantes, por poderem mudar para sempre uma vida, que requerem uma atitude impulsiva: o pensamento excessivo e a racionalização ponderada podem revelar-se, de quando em vez, maus conselheiros por provocarem simplesmente o adiamento e a indecisão escondendo o medo do arrependimento.

Já me vi confrontada com as duas situações e não sei bem qual das duas prefiro. Talvez dependa do contexto, das possibilidades que nos são apresentadas e da urgência sentida.

Sobrevivência

E, se alguém tem dúvidas, não tenha porque é a mais completa verdade! Como alguém que conheço diria se estivesse aqui à minha frente neste preciso momento “venha o que vier, nada será maior do que a minha alma”. E com esse alguém aprendi muitas coisas e uma delas foi a sobreviver em qualquer situação, até quando estamos rodeados por todo o lado de feras esfomeadas e desejosas de ver sangue.

“(...) aprendera, e muito bem, que algumas perdas eram capazes de despedaçar uma pessoa reduzindo-a a pequenos cacos, esmagando-lhe o espírito, transformando-o em pó. E, mesmo assim, a pessoa era capaz de seguir em frente e reerguer-se remendando a alma. As pessoas sobreviviam. Se não “felizes para sempre”, pelo menos levavam a vida adiante de forma satisfatória”.

Nora Roberts in “A Cor do Fogo”, pg. 14

segunda-feira, 26 de setembro de 2005

Sim, é verdade!

Digo-o de forma generalista, o mais possível, porque já percebi que o que escrevo anda a ser lido por pessoas de bem, que estimo e que espero que continuem a visitar-me, a comentar os meus escritos e pensamentos, histórias reais e fictícias, arranjadas num momento qualquer em que a observação é o principal instrumento e que a imaginação faz o resto. MAS também é alvo de curiosidade alheia e menos desejada: são as tais chatas e excessivamente palradoras, intrometidas e desejosas de saber pormenores da vida alheia e que, cá para nós, não entendo as razões de tamanha curiosidade. Para essa(s) que precisa(m) de confirmação pública, aqui vai a resposta: “É verdade, sim senhora! Satisfeita?”

domingo, 25 de setembro de 2005

JALÉ ECOLODGE... SEMPRE!



Já aqui transmiti o meu contentamento no que respeita ao início de actividade do JALÉ ECOLODGE, projecto que tive o prazer de conhecer desde o momento em que ainda se encontrava na primeira fase de construção, ou seja na altura em que ainda se estavam a construir os bungalows feitos com troncos de coqueiros. Claro que fiquei de imediato rendida: pela beleza da região, pela filosofia do espaço e pelos objectivos que o projecto encerrava, e que foram sendo, ao longo do tempo, prosseguidos.
A ideia de construir um lodge com especificidades muito marcadas no que respeita ao tipo de turismo promovido, às actividades envolvidas e aos resultados esperados, numa região até aqui tão "esquecida" encantou-me: a pequena dimensão do lodge e a limitada taxa de ocupação; as tentativas de exploração local; a procupação com o controle dos impactos ambientais e a necessária protecção de espécies; a valorização do turismo natureza com as vertentes ecológica e pedagógica, onde se podem desenvolver actividades de observação, em contacto directo com a natureza, sendo esta uma região potencial (as praias, a mangrove, o Parque Obô); a dinamização socioeconómica da comunidade residente em Porto Alegre; o aumento de oportunidades para as famílias e... tantos outros aspectos que poderiam ser referidos.
Mas, muito mais contente fiquei quando tive acesso a estes magníficos prospectos de divulgação e, em conversa, percebo que, mais do que o lodge, foi construída uma ponte para passeios pedestres que permite a ligação entre o Rio Malanza e a Praia Jalé (no mapa da região, é uma ligação ponteada a verde). Isto significa que:
1. o passeio de canoa tradicional, com remador local, no Rio Malanza, que em tempos fiz, é uma experiência deslumbrante, pelo enquadramento e paisagem, pela possibilidade de observar espécies, como o macaco, e pela aprendizagem que resulta do contacto com o remador (homem experiente e conhecedor), é uma actividade que está a ser localmente dinamizada,
2. este passeio pode ser associado a outras actividades como as caminhadas em meio misto (passadeira de madeira sobre a água e em terra),
3. a observação e as caminhadas são actividades privilegiadas, promovidas a partir do JALÉ ECOLODGE,
4. de forma associada, a protecção de tartarugas está a ter continuidade na praia Jalé, sendo possível a sua observação.
Um local a reter, portanto!

Limitação

Tenho de admitir que sou absolutamente limitada no que respeita à aceitação e ao perdão da mentira. Eu sei que nem sempre quem mente o faz por mal. Muitas e muitas vezes incorre-se em mentiras, que se pensa serem inconsequentes, para não magoar ou ferir os sentimentos alheios. Mas quando percebemos que nos mentiram, por mais insignificante que seja a situação, perdemos a confiança, acabamos por nos sentir desasados e sem rumo, e nem uma bússola ajuda na orientação...

1ª Grande Viagem ao Norte de Moçambique

“ATENÇÃO - URGENTE

A anunciada viagem ao Norte de Moçambique organizada por um grupo de ex-residentes tem datas alteradas para acerto com o novo programa de voos da LAM.

Assim, a viagem terá partida a 8 de Novembro e regresso a 22 de Novembro. 

Para informações mais detalhadas não demorem a contactar ou a inscrever-se, para a agência de viagens ( telefones 919946143/219332078 ) , pois os lugares são limitados, e a hora da decisão está a chegar. E não se esqueçam de passar aos amigos e conhecidos!

Mais: se nunca lá esteve é ocasião magnífica para conhecer Moçambique. E em boa companhia!

Fernando Gil

MACUA DE MOÇAMBIQUE: http://www.macua.org/index.html

MOÇAMBIQUE PARA TODOS: http://macua.blogs.com/moambique_para_todos/

sábado, 24 de setembro de 2005

It takes 2 to Tango

É... pois é, queria tanto eu dizer-te muitas e muitas coisas e nem uma consegui. Sei lá eu porquê... ou se calhar até sei. Porque quando olho nos teus olhos todo o pensamento se esfuma pelos canais da racionalidade deixando cá dentro um vazio de explicações. Porque quando sorris, com ar um terço malandro, um terço tímido e um terço sonhador, fico rendida e a vontade que antes tinha de te acusar ou de te questionar desaparece sem eu perceber como. Porque quando falas e te transformas de simples mortal no mais perfeito contador de histórias, como se tivesses nascido para isso, dou comigo encantada com os pormenores, procurando saber sempre um pouco mais. Porque quando me fazes rir me sinto bem, confortável e muito descontraída. Porque quando estamos juntos tenho a sensação que o tempo parou algures num lugar qualquer onde fui muito feliz e apetece-me simplesmente ficar assim para sempre. E tudo isto é estranho porque, no fim de contas, como é costume dizer: “it takes 2 to Tango”!

sexta-feira, 23 de setembro de 2005

Analogias...


A propósito dos invólucros alimentares, já estou como o outro quando dizia “não sei se vá, não sei se fique...”. É que isto há coisas que baralham a cabeça a uma simples e quase básica mocinha... Pensamos nós que somos, ou fomos, importantes para alguém e quando damos por nós passamos a ser classificadas em função de terminologia comparativa que até poderia envaidecer-nos dadas as justificações que complementam o atributo. Mas afinal não... é que a sensação, ao ouvir as razões, é tão desconcertante que o resultado é quedar incrédula, boquiaberta e de olhar estarrecido e fixo no interlocutor.
- Comparar-te com um pacote de sumo não é a melhor forma de te definir. Na altura certa, foste muito mais uma garrafa de vinho tinto do género “Cartuxa 1996”, forte e intenso, que me inebriou, levando-me a cometer todas as loucuras possíveis, as imaginárias também, já para não falar nas impensáveis. Ou podia ainda imaginar-te uma tablete de chocolate recheado de praliné, ou de ginjas, envolvente e doce, de sabor prolongado e toque suave, que me saciava a carência e confortava os afectos, mas que nunca era demais porque eu preciso muito de açúcar, tu sabes.... Tu foste muito, muito mais do que podes pensar e serás sempre, apesar de não poderes ser como gostarias. Não penses em excesso em tudo isto porque pode parecer-te confuso. Aceita apenas o que te digo...
E assim ficámos conversados, talvez não para a vida, mas pelo menos para já. Há coisas sobre as quais não vale a pena pensar muito porque o desgaste não se revela compensador. Afinal, as analogias podem não ser brilhantes, não o são certamente. Mas uma coisa é certa, gosto muito de Cartuxa, e aquele de 1996 revelou-se na realidade magnífico, diria mesmo inesquecível. E também gosto muito de chocolate. Dois alimentos que também eu relaciono com África, a minha, de Todos os Sonhos e onde se realizaram alguns.

Promoção Hotel Phenicia STP


Há uma nova promoção para STP com datas alargadas. O alojamento é no Hotel Phenicia em regime APA (com pequeno almoço) e as tarifas incluem voo Lisboa-São Tomé-Lisboa, estadia no Hotel Phenicia no regime APA e transferes de e para o aeroporto:

- de 9 a 30 de Outubro (509 euros/semana – 7 noites, sendo a tarifa por noite extra de 25 euros)

- de 5 de Novembro a 3 de Dezembro (509 euros/semana – 7 noites)

- 10 de Dezembro (486 euros/6 noites)


Os contactos podem ser feitos através da Navetur (navequatur@cstome.net), do Hotel Phenicia (Tel : 00239 224203/4/5, Fax : 00239 224206) ou da Air Luxor (tours@airluxor.com, 707500606)


E... boa viagem até ao paraíso!!!






quarta-feira, 21 de setembro de 2005

Guiné: trabalho comunitário CONTRA A CÓLERA


No Africanidades, o Jorge Neto apresenta-nos, como sempre, a realidade que se vive na Guiné Bissau, com realismo e muita atenção: pode perceber-se o amor que sente pela terra e pelas pessoas sem perder a capacidade crítica, apresentando as situações tal e qual são vividas. Há posts do Africanidades que... dão arrepios!
Esta é uma das fotos que ilustram a preocupação contida no post "Guiné-positiva - de mãos dadas contra a cólera". As fotografias transmitem-nos imagens estranhamente duras e positivas. A CARITAS Guiné Bissau uniu-se aos jovens e com poucos, quase nenhuns, recursos puseram mãos à obra com o objectivo de limparem os principais bairros na envolvente da capital, com particular destaque para o enorme Bairro Bandim. Um trabalho meritório e, como se comprova pela foto, cheio de boa disposição porque a esperança no futuro move qualquer dificuldade.
Fica o apelo à Comunidade Internacional e em particular aos Meios de Comunicação Social da lusofonia: é preciso divulgar!!!

Exposição: TRAVEL

Hoje recebi um mail com o conteúdo que segue. ~

 

“Inauguração: 23 Setembro 2005 às 22h00

Localização: Rua da Boavista, 84 - 3º andar, Lisboa

Horário: 3ª a Sábado das 14h - 19h30

A exposição será acompanhada por uma revista, publicada por "Aprender a Olhar"

23 de Setembro | 22h00 | PLATAFORMA REVÓLVER | Travel - Exposição colectiva de Ana Silva, Gustavo Sumpta, Luisa Low Pew, Paulo Kussy, Sílvia Moreira, Osvaldo da Fonseca, Francisco Vidal e Verónica Leite de Castro: expõe trabalhos de uma nova geração de artistas que partilham como factor comum -um contexto humano- serem pessoas muito diferentes mas todas ligadas intimamente a África e Portugal, e às suas relações, o que outorga unidade à selecção: A exposição inclui trabalhos de pintura, escultura, tapeçaria e vídeo de 8 artistas contemporâneos.

Encontro de Artistas Plásticos | 24 Setembro | 16H00

Teatro S. Luiz ? Jardim de Inverno

1 Rua António Maria Cardoso, 54 (Lisboa, Chiado)

Encontro organizado em conjunto com a Plataforma Revólver, moderado pelo Prof. Fernandes Dias, professor na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa e coordenador científico do projecto ArtAfrica, do serviço de Belas Artes da Fundação Calouste Gulbenkian. Contará com a participação de Angela Ferreira, Roger Meintjes, Inês Costa Dias e dos artistas plásticos intervenientes.

PRESS RELEASE

A exposição "TRAVEL", é apresentada pela PLATAFORMA REVÓLVER, e é integrada no África Festival 2005. Expõe trabalhos de uma nova geração de artistas que partilham como factor comum -um contexto humano- serem pessoas muito diferentes, mas todas ligadas, intimamente a África e Portugal, e ás suas relações, o que outorga unidade à selecção: A exposição inclui 8 artistas contemporâneos, cujo trabalho responde, à sua experiência de viajarem e viverem entre culturas, e que reflecte, outras visões e narrativas do mundo em que vivemos. Tendo como ponto de partida este lastro, a exposição funcionará como um laboratório -haverá debates teóricos e visitas guiadas- que oferece a oportunidade, de desenvolver, e relacionar, trabalhos de vários artistas de vários backgroundes culturais, e delineia a observação da intersecção de diferentes formas de criatividade e praticas artísticas.

"Em primeiro lugar, há o problema do começo; principalmente, o de sabermos como é que passamos de onde estamos, o que, por enquanto, é em um sítio nenhum, para o outro lado. É, pura e simplesmente, um problema de ponte, um problema de se improvisar uma ponte. As pessoas resolvem estes problemas todos os dias. Resolvem-nos e , uma vez resolvidos, avançam.

Partamos do princípio de que, fosse como fosse, está feito. Partamos do princípio de que a ponte está construída e atravessada, que podemos esquecer isso. Deixámos para trás o território onde estávamos. Estamos agora bem longe, no território onde queremos estar." J.M.Coetzee

Neste contexto, de expressão pessoal e de identidade cultural, o desafio da concepção e apresentação da exposição, é torná-la compreensiva, com o objectivo de criar uma declaração (relato) pertinente a respeito do valor cultural do universo lusófono da cultura contemporânea: é um "olhar de pássaro" sobre a riqueza da multiplicidade das relações artísticas entre artistas diferentes, mas sem uma preocupação de discurso teórico, antes preferindo dar liberdade à força da imagem, e ao estimulo que ela produz no espectador.

A exposição "Travel" apresenta vários trabalhos, numa aproximação de site-specific, e que vão desde pintura, escultura, tapeçaria, vídeo e graffiti, num espaço colectivo.

Nomes dos artistas representados: Ana Silva, Francisco Vidal, Gustavo Sumpta, Luisa Low Pew, Paulo Kussy, Sílvia Moreira, Osvaldo da Fonseca, Verónica Leite de Castro.

Um painel de discussão com os artistas intervenientes na exposição, e ainda Angela Ferreira, Inês Dias, Roger Meintjes, e screening do Prof. Fernandes Dias, terá lugar dia 24 de Setembro às 16h00, no Jardim de Inverno do Teatro São Luíz.

Aqui fica, desde já, o meu agradecimento aos artistas, à Angela Ferreira, Inês Dias, Roger Meintjes, e em especial ao Prof. Fernandes Dias.

Victor Pinto da Fonseca”

 

sábado, 17 de setembro de 2005

Encontro de Culturas: OEIRAS

17 Setembro: FESTA AFRICANA, Auditório Municipal Ruy de Carvalho, Centro Cívico de Carnaxide

Tertúlia: 16h

Inauguração da Exposição de Fotografia de António Júlio Duarte “Festa Africana” – 18h

Concerto de Celina Pereira – 18h30

Refeição Típica – 20h30

Concerto de Tito Paris – 21h30

Entrada Livre, limitada à lotação do auditório

CICLO DE CINEMA (14 a 20 setembro)

Auditório Municipal Eunice Munoz, Rua Mestre de Aviz, Oeiras

EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIAS (GRANDE DESTAQUE PARA STP) – 13 a 18 de Setembro, OLHANDO ÁFRICA de Saúl de Carvalho, Oeiras Parque das 10h às 24h (VISITEI-A HOJE E POSSO GARANTIR QUE VALE A PENA)

13 a 30 de Setembro – VISTA PARCIAL, Exposição de Artistas Africanos, Galeria Municipal Lagar de Azeite, Oeiras, 3ª feira a domingo das 14 às 19h

quarta-feira, 14 de setembro de 2005

Um sonho chamado TANGALA














As fotos de sonho foram retiradas do site do TANGALA CAMP

Reserva em África

Há dias felizes e locais que reúnem todas as condições para que uma viagem valha, só por si, a pena, quando o objectivo é a felicidade. Não, não fui viajar mas os relatos que tenho ouvido desde as 6h45 da manhã, altura em que a minha irmã saiu do aeroporto, sem a mala que terá ficado algures num dos locais onde fez escala, provavelmente em Luanda, mas ninguém sabe... E os relatos que ainda espero ouvir sobre animais vistos, emoções sentidas pela proximidade, os truques para se sair são e salvo da selva, as actividades realizadas, desde um voo de balão de ar quente, com aterragem atribulada mas muito divertida, até uma caminhada pela savana para observar os animais no habitat natural, e claro ser-se visto por eles.

Quem organizou foi a Irene Grilo, uma moçambicana radicada em Portugal que se envolve nas viagens dos seus clientes, demonstrando um interesse e uma preocupação invulgares no mundo das viagens e do turismo e que são muito reconfortantes. Os que viajaram sentem nela uma amiga e nós, os que ficámos, partilhamos desse sentimento, sabendo que um dia que possamos empreender uma viagem assim, será com toda a certeza através do INTO AFRICA e com o seu rigoroso acompanhamento. O sítio de sonho é o TANGALA CAMP.

segunda-feira, 12 de setembro de 2005

Stand by

Um pequeno intervalinho na comunicação por uma nobre razão: preparação de aulas. No meu caso, recomeçam de hoje a uma semana e estou a “lavar a cara” aos materiais que vou distribuir pelos meus novos, ainda desconhecidos, interlocutores. Vai ser um ano em cheio! :-)

domingo, 11 de setembro de 2005

11 Setembro: 4 anos

Faz hoje 4 anos que uma enorme atrocidade foi cometida...

Cinderella Man

Ontem fui ao cinema, o que para mim é motivo de alegria. É verdade, sou daquelas pessoas que ainda consideram uma ida ao cinema como um ritual magnífico: a chegada à sala uns minutos antes do filme começar, estar sentada quando as luzes são reduzidas ao estado de “semi” enquanto as apresentações das próximas estreias nos sugerem, ou não, novas idas, apreender a música e as primeiras imagens à medida que as luzes se apagam para dar lugar aos sonhos e a novas vidas partilhadas, apreciar o silêncio que faz parte de todo o ritual (porque para conversar, escolhem-se outros espaços mais adequados), não comer pipocas a cheirar a óleo nem beber/sorver coca cola nos momentos mais emocionantes (porque o cinema não é restaurante nem bar e nós não vivemos nos EUA).

Ali, em frente de novas personagens, consigo voar em direcção a novos locais, épocas passadas, presentes ou futuras com vidas diferentes da minha. Ali sonho, emociono-me, sofro, choro e rio em função do rumo da história. E ontem vi um filme fantástico, daqueles em que estamos completamente dentro do écran, a viver cada minuto daquelas pessoas, simpatizando muito com uns e odiando terrivelmente outros. Vi o Cinderella Man, baseado na vida de James J. Braddock, com Russell Crow, Renée Zellweger e Paul Giamatti, qualquer um com interpretações irrepreensíveis, diria mesmo brilhantes! Além disso, o filme é exemplar no que diz respeito a valores: a família, a coragem e a determinação, a honestidade e a amizade, a capacidade de acreditar incondicionalmente numa causa e de lutar por um ideal. Aquele homem, a sua família e o seu amigo (manager) são exemplos a seguir, pelo menos a não esquecer!

Pobreza Mundial

O João, do BIOTERRA, lança-nos mais um desafio sob o tema, sempre actual, da pobreza com grande destaque para as desigualdades mundiais no que respeita à população infantil. O filme que se pode visualizar é muito chocante mas real, merecendo ser divulgado. Há muito a fazer!

quinta-feira, 8 de setembro de 2005

Que jantar...

Saborear marisco é qualquer coisa de muito magnífico, não fosse o anisakis, meu eterno companheiro, teria abusado muito mais... mas perante o risco permanente, já me dou por muito satisfeita porque a verdade é que não me contive... Bem, agora... acompanhá-lo com sangria de champanhe, preparada com champanhe doce, bem fresco e muito pêssego, que serve de entretém no final do jantar, e que tem o senão de subir mais rapidamente do que o líquido antes ingerido, torna o momento verdadeiramente especial, independentemente de ser um jantar romântico ou simplesmente amigável. O repasto termina com a alegre sensação de se estar a flutuar num clima de harmonia, paz e bons fluidos. É bom, muito bom e recomenda-se... pelo que hoje não escreverei mais aqui por me arriscar a levantar voo muito mais rapidamente do que consigo escrever... :-) Hip.... à vossa!!!

STP

Esta é a nova imagem do Grupo de Debates sobre São Tomé e Príncipe. Imagem bonita, expressiva e a lembrar uma das principais características sociais do arquipélago, a miscigenação.

quarta-feira, 7 de setembro de 2005

Sonho apaixonado em verso

Há dias sonhei. Sonhei muito com alguém que um dia, não há muito tempo, foi muito especial e que eu, ao longo do tempo, quis que continuasse a ser, sem que na realidade fosse. Dito desta forma, parece complicado mas é simples. Muito... até demais! Depois daquele sonho agitado, e de ter acordado com uma terrível sensação de desconforto, passei a encarar aquele exemplar da espécie de outra forma, mais realista e com maior objectividade. Thanks God! Aqui para nós, só pode mesmo ter sido a sabedoria do meu Anjo da Guarda a influenciar o meu inconsciente para ganhar juízo e para me dedicar a pensamentos produtivos e positivos, deixando para trás o que não pode ser, pelo que nem vale a pena ser lembrado, revivido ou preservado.
Pois logo seguir, como que procurando dizer-me que esta vida afinal está recheada de felizes coincidências, soube que o meu projecto de investigação mais recente foi aprovado e que me poderei dedicar à educação ambiental por uns tempos, com observação de espécies fantásticas, que por certo não me desiludirão, tais como as tartarugas marinhas, os golfinhos, os peixes, os pássaros, os macacos e outros amigos que tais. E melhor, associo a possibilidade de contactar com as comunidades, o que faz as minhas delícias. Melhor um pouco, por duas das Áfricas que fazem parte dos meus sonhos e por uma outra com a qual ainda não me sinto muito familiarizada, mas que em breve estarei. Tudo em ilhas. As minhas adoradas ilhas, onde me sinto magnificamente EU!
O que poderia mais desejar? Afinal estes são momentos de felicidade suprema, de preenchimento dos vazios que vamos criando e fomentando sem darmos conta do tremendo equívoco em que estamos a incorrer, por casmurrice, erradamente conscientes de que naquela pessoa está o el dorado das nossas existências. Mas não, aquele podería ter sido um companheiro, um parceiro, um amigo e um amante para a vida. Até me aparece em sonhos, de quando em vez... Mas perdeu a oportunidade descartando-me como se de um pacote de sumo vazio se tratasse e, com o tempo, aprendi a reconhecer e a ultrapassar estas limitações, se bem que ao ritmo "leve-leve"... Não, ninguém gosta de se sentir um invólucro alimentar!
Agora o curioso é que enquanto estava a estruturar ideias, a organizar papéis e dossiers por temas e países - trabaho prévio, portanto - o rádio decidiu estimular o pensamento e as recordações, através da voz do Luís Represas, ainda Trovante, com os versos que seguem (canção incompleta).
É altura de perguntar àquele que supostamente me acompanha por todo o lado, evitando que as asneiras e disparates sejam piores do que são: ONDE ANDAS TU, MEU ANJO DA GUARDA? VOLTA POR FAVOR E AFASTA AQUELA CARA, OS OLHOS, O CHEIRO E O SORRISO DA MINHA MEMÓRIA PORQUE QUERO FICAR EM PAZ!
"Há quem espere por nós assim
mesmo ao meio da rota do fim
há quem tenha os braços abertos
para nos aquecer
e acenar no fim
Há quem tema por nós assim
quando os barcos partem por fim
há quem tenha os braços fechados
com beijo jurado
eu voltarei pra ti
Nunca é miragem
sabemos que o cais é certo
é a estrela polar
em sol aberto
a castigar
Ficamos mais perto
sentimos mais dentro a força
do que nós somos
e do que queremos
reconquistar"
Trovante

Pobreza Zero

Encontrei o link da POBREZAZERO no BIOTERRA. Excelente iniciativa: erradicação da pobreza (ou talvez minimização dos seus efeitos...), educação, medidas participativas ao acesso de todos, até dos que normalmente não se mobilizam nem aderem a estas causas.

Viagem a STP

Quem: conhecer e estiver com saudades de STP; não conhecer mas tiver vontade de viajar até uma ilha verde, verde, verde... muito verde, com praias fantásticas e desertas, águas cristalinas e quentes; precisar de viajar em trabalho; tiver curiosidade de aprender um pouco acerca de uma cultura miscigenizada...; quiser apenas conhecer pessoalmente o João Carlos Silva, o homem de “Na Roça com os Tachos” e usufruir da inesquecível vista e da tranquilidade da varanda da Roça de São João; quiser observar tartarugas, golfinhos, baleias, macacos, lagaias, pássaros e outras espécies, tem no mês de Outubro uma excelente oportunidade.   

O Hotel Phenicia oferece uma nova promoção muitíssimo aliciante: entre 9 e 30 de Outubro, UMA SEMANA por 509 euros por pessoa em quarto duplo, incluindo bilhete de avião, tranfer aeroporto-hotel-aeroporto, dormida no Hotel Phenicia em regime de alojamento e pequeno almoço (APA).

Para mais informações, consultem www.airluxortours.com ou contactem o e-mail: phenicia@cstome.net

E é meio caminho andado para uma estadia magnífica nas ilhas paradisíacas, que fazem sonhar qualquer um, com um excelente acolhimento.

 

Relatório de Desenvolvimento Humano - PNUD

O PNUD lançou hoje, dia 7 de Setembro, o 15º Relatório de Desenvolvimento Humano - “Cooperação Internacional numa Encruzilhada: Ajuda, Comércio e Segurança num Mundo Desigual”.

Os autores argumentam que para se atingirem os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio, a comunidade internacional precisa de romper os estrangulamentos que se verificam em três áreas fundamentais: a ajuda ao desenvolvimento, o comércio internacional e a segurança.

O Relatório reconhece os avanços alcançados durante a última década mas também esclarece que “em 2003, 18 países com uma população conjunta de 460 milhões de pessoas tiveram resultados mais baixos no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do que em 1990 – um recuo sem precedentes. No meio de uma economia global cada vez mais próspera, 10,7 milhões de crianças por ano não vivem para ver o seu quinto aniversário e mais de mil milhões de pessoas sobrevivem numa pobreza abjecta, com menos de um dólar por dia”.

O Relatório analisa também custo humano terrível causado pelos conflitos violentos nos países pobres, para além de sublinhar que a pobreza constitui um terreno fértil para o surgimento de mais violência.

Portugal aparece na 27ª posição na tabela do IDH, o Brasil na 63ª, Cabo Verde na 105ª, S. Tomé na 126ª, Timor-Leste na 140ª, Angola na 160ª, Moçambique na 168ª, Guiné-Bissau na 172ª.

O documento foi entregue aos líderes mundiais uma semana antes da Cimeira Mundial 2005, que decorrerá de 14 a 15 de Setembro em Nova Iorque.
A 15ª edição do relatório do PUNUD será também lançada hoje e amanhã em outras cidades do mundo, tais como Bangkok, Berlim, Bruxelas, Copenhaga, Genebra, Joanesburgo, Londres, Madrid, Paris e Sidney.

 

É só clicar, para iniciar o download do Relatório (ficheiro pdf com 6,3 MB e 388 pg).

Romantismo on line

Não conheci até hoje blog tão romântico quanto o Mar Adentro. Vale a pena confirmar. Textos magníficos e que tocam por transmitirem o ideal da essência do romantismo. A frase introdutória ao blog diz quase tudo: “OS SONHOS SÃO COMO OS DEUSES, SE NÃO SE ACREDITA NELES, ELES DEIXAM DE EXISTIR.” Ainda bem que continua a haver pessoas assim!

terça-feira, 6 de setembro de 2005

Constância e Desassossegos

Há pessoas estranhamente constantes na forma de ser e de estar, nos gostos, nas opções e nas opiniões, tornando-se terna e confortavelmente previsíveis para todos os que com eles convivem. Normalmente coincidem de forma feliz com os meus grandes amigos, aqueles em quem sei que posso confiar as minhas ideias mais convictas e sonhos, até os menos prováveis de realizar, os meus mais profundos devaneios e as loucuras cometidas sem pensar. Sei o que pensam e o que me vão dizer. São simples e directos, ternos e afáveis, protectores e seguros. São constantes e isso é muito bom, já que é esta permanência que os torna em grandes amigos!

E há pessoas estranhamente inconstantes nos desejos e nas vontades, nas atitudes e nos pensamentos. Nunca se sabe bem o que pensam, principalmente quando a nossa pessoa está em jogo, e muito menos como vão reagir em determinada situação, apesar de pensarmos sempre que os conhecemos tão bem que gostamos de os achar previsíveis, acabando, mais tarde, por nos desiludir. São os chamados de “dois passos à frente e um atrás”... Estes são infelizmente aqueles por quem me apaixono. Neles quero sempre acreditar e confiar, procurando perpetuar este sentimento de lealdade emocional e afectiva até à exaustão. Mas eles revelam-se quase sempre de grande complexidade interior, não sendo directos, nem seguros e muito menos protectores, não correspondendo às expectativas depositadas. São incosntantes e esta forma de ser e de estar transforma-me a vida num infinito desassossego, pelo menos até eu tomar verdadeira consciência do funcionamento de cada um e virar concha por uns tempos.

segunda-feira, 5 de setembro de 2005

Um desafio

Fui desafiada pelo Albuquerques e, apesar das minhas promessas, só hoje consegui pensar com calma nas questões colocadas e responder o mais seriamente possível... As questões são “um pouco” vagas

CINCO COISAS QUE NÃO GOSTO (há ainda algumas mais...)

- desonestidade/mentira

- falta de sensibilidade

- intrigas

- fumo/poluição

- mau cheiro

CINCO COISAS DE QUE GOSTO BASTANTE (há muitas mais!!!!)

- família

- amigos

- viajar

- animais

- portátil

5 ÁLBUNS (foi uma escolha muito difícil...)

Themes dos Vangelis

Banda Sonora do Notting Hill

The Ultimate Collection, Billy Joel

More Best of Leonard Cohen

Zaguán de Miguel Poveda

UMA MÃO CHEIA DE MÚSICAS (foi uma selecção muito fácil mas infinitamente redutora)

She, Elvis Costelo

Honesty, Billy Joel

Fire and Rain, James Taylor

My Way, Frank Sinatra

Situações Triangulares, Bau

PARA QUEM PASSO O DESAFIO (foi muitíssimo difícil porque tive de seguir um critério múltiplo, já que gostaria de ler as respostas de todos os meus escritores de eleição. Mas como não pode ser... a minha escolha recaiu naqueles que penso e espero que respondam e que não sejam absolutamente resistentes a estas brincadeiras que supostamente permitem um melhor conhecimento de uns e de outros...)

1. Digitalis

2. Legendas e Etcaetera

3. No Cinzento de Bruxelas

4. Nas asas do amor

5. O Canto da Heidi

Esquecer

Como é possível esquecer alguém quando temos o seu cheiro entranhado na pele, no cabelo, na roupa? Quando por mais que o queiramos afastar do pensamento, fechando, nem que seja temporariamente, as gavetas da memória, ele nos persegue porque ficou preso em todos os nossos sentidos: o cheiro que nos encantou, nos canais olfativos; a imagem que nos deliciou, nas pupilas; a voz e as expressões mais típicas que nos faziam rir, nos tímpanos; o doce paladar, nas papilas gustativas; a pressão apaixonada dos dedos, na pele. É difícil esquecer quem se amou, diria mesmo que, quanto mais o tempo passa, mais penso que é impossível esquecer quem se amou verdadeiramente... Não quem se fingiu amar porque esses são difíceis de recordar...

Defeitos insuperáveis

Odiava a mentira. Sempre odiara este artifício tão utilizado e que tanto serve para safar uns como para iludir outros. E com esta percepção dizia a si mesma que odiava os mentirosos, os que trocam as verdades, que as adoçam com pós de paladar frutado e aparência multicolor. Só que a realidade é quase sempre mais dura do que o sonho desejado: os que a rodeavam eram os que não mentindo omitiam a realidade com os mesmos pós, ou outros parecidos, estrategicamente escolhidos para não a magoar...

Irritação...

Ao contrário da maioria das mulheres que sentiam frustração afectivo-emocional, ela não culpava a subespécie humana masculina pela ansiedade angustiada que a assolava de quando em vez, quase sempre motivada pelo mesmo estímulo. Nem atribuía culpas exageradas ao próprio estímulo, apesar de identificar claramente e de reconhecer qual era a causa para o seu estado. Em consciência, irritava-se apenas consigo própria porque, conhecendo-se tão bem a si como aos outros, acabava sempre, e de forma inacreditável, por cair no mesmo tipo de armadilhas.

Flora Santomense






A flora santomense tem, desde 2003, como embaixador um empresário português associado a um agrónomo santomense, através da Flora Speciosa, uma empresa situada na Roça São José, antiga dependência da Roça Santa Catarina, apenas a 10 km da capital e dotada de 30 hectares de terreno. A Flora Speciosa produz e exporta flores e folhagem para 4 cantos do Mundo: América, Europa, Ásia e África. Plantas sedutoras, de extrema beleza e exotismo, tais como: rosas de porcelanas rosa e vermelha, bico de papagaio, macho e fêmea, shampo ginger, bordão macaco, bananeira ornamental.

sexta-feira, 2 de setembro de 2005

Bijagós, Património a Preservar



As fotos foram retiradas
daqui. O Arquipélago dos Bijagós tem honras de exposição em Paris até ao próximo dia 7 de Novembro, o que é uma notícia excelente. Quem tiver a oportunidade não deve perder e quem não puder, pode sempre consultar a página na net com informação e fotografias. Este é mais um daqueles locais de sonho, privilegiados pelos Deuses, um cantinho quase escondido no meio do mapa, nem sempre acessível a todos. É mais um património a preservar, e que tem o objectivo de ser classificado "Património Natural e Cultural Mundial" pela UNESCO, ainda mais atendendo para o facto de que estamos na "Década da Educação para o Desenvolvimento Sustentável (2005-14)". É mesmo impossível não sonhar com África...

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...