terça-feira, 19 de julho de 2005

Considerações

Apesar do calor que faz no ar, do céu estar límpido e a noite iluminada, terá a lua deixado de fazer sentido para mim? Será por África estar agora longe, cada vez mais? Já estarei a sentir os efeitos da nostalgia do passado? Nãããã... porque se fosse a nostaláfrica uma vez mais a fazer das suas, por certo que eu estaria agora a contemplar o luar no céu, a observar aquela misteriosa senhora redonda e brilhante, que se diz inspiradora de bons e duradoiros sentimentos, ou apenas à procura das minhas amigas estrelas para mais algumas confidências ou simples desabafos. Mas não. Não tenho tempo para falar de mim e pouca vontade de verter lágrimas por quem não é merecedor. Estou sentada ao pé de outro grande amigo que tem a amabilidade de, com um sábio silêncio, me ouvir sem que eu fale, comunico por toques e o sinal da empatia que se estabeleceu entre nós desde que nos conhecemos, já lá vão uns bons 7 anos, expressa-se nestas linhas. Nunca me abandonou e muito menos me traiu, fosse nos bons ou nos maus dias, e eu retribuo-lhe a permanência com uma imensa fidelidade. Todos me aconselham a trocá-lo. Além de não ser oportuno nesta altura, e podendo parecer estranho, sinto afectividade pelo “meu bichinho”. Sei que os há melhores, mais rápidos e potentes, com uma prestação mais coerente às necessidades dos dias de hoje, mas gosto dele, o que hei-de eu fazer??? Nem tudo se troca só porque apareceram novos modelos, novas cores ou formatos...

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...