quinta-feira, 2 de junho de 2005

E foi assim

E assim se passou mais uma dia de anos de alguém que será eternamente criança. Amanheceu e anoiteceu com um calor a lembrar os trópicos e as regiões equatoriais africanas. Já não me lembro de passar um dia de anos como o de hoje há muito tempo. Pensei ir à praia mas, só para me contrariar e pôr à prova a minha capacidade de adaptação, mais uma alergia decidiu não me abandonar, bem cedo, ainda de madrugada, o que me impossibilitou de apanhar sol. E passei o dia em boa companhia, a receber as chamadas dos amigos, e neste ano foram muitos os que se lembraram e que não entram para a “lista negra”. Para finalizar o dia passado em família, um jantar a condizer, animado e divertido, com muitas histórias, algumas sobre as Áfricas por onde alguns de nós já passámos e com os olhos atentos e cheios de curiosidade da mais adorável das crianças, de apenas 5 anos. Pronto, tenho de reconhecer que estou mais velha e praticamente na enigmática fronteira dos 40, quase assustada mas ainda não completamente. Para já, ainda divertida.

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...