quarta-feira, 25 de maio de 2005

Sono

Hoje é um daqueles dias em que o cansaço decidiu visitar-me e, acredito, alojar-se por uns dias. Há muito que não tinha esta sensação estranha de querer dormir, dormir, dormir sem parar. Em STP havia dias assim, em que, por mais e melhor que se tivesse dormido, não apetecia fazer nada e o sono ficava, de forma contagiante, por uma temporada. Normalmente antecedia tempestades e temporais de chuva batida pelo vento, acompanhadas de calor forte, intenso, imparável, provocando os sentidos. Mas aqui, só pode estar relacionado com o calor repentino e a única coisa que provoca é mesmo o sono.

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...