terça-feira, 10 de maio de 2005

Ah... Leão!

"Diz-me, se me visses como um animal, qual seria?" - perguntou-me ele esperando uma resposta do género: leão. Era assim que ele se via. Másculo, forte, possante, dominador, rei da selva, bonito e... por natureza, pouco fiel. "Sabes que um leão africano é capaz de cupular com várias leoas, umas seguidas às outras? Não se cansa, é insaciável. Está em cima de uma e salta para outra. É daí que vem a expressão: Ah... Leão...", referia ele com orgulho.
Eu olhei-o, primeiro estarrecida, porque ainda não o conhecia bem, e depois divertida, e sorri a pensar "Mas os homens por vezes fazem cada associação de ideias... já para não falar nas perguntas...".
Com o tempo vim a perceber aquela conversa assim como a pergunta. Era redundante, um pouco simplista até. Não havia nada de muito elaborado senão a tentativa de mais uma conquista. Eficaz e rápida, efémera e sem contrapartidas, hedonista e egoísta qb, como na culinária. Ele pensava e relacionava-se com as mulheres como o leão, o famoso rei da selva, perante 10 fémeas. Todas hão-de ser suas... só que... à vez. E elas que se cuidem!

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...