quarta-feira, 2 de março de 2005

Estou a regressar

E nesta altura não penso em mais nada senão em África, apenas em São Tomé e não no Príncipe. Estou concentrada, dedicada quase em exclusividade, em sintonia total com o ambiente: a floresta, o Obô, as caminhadas e as roças, os percursos e as espécies; as praias na sua diversidade, o snorkeling e a observação de espécies, em particular a tartaruga; a aventura possível. Os momentos por lá passados, as emoções vividas, as experiências partilhadas. As pessoas e os sorrisos, as suas expectativas de atingir uma felicidade suprema com tão pouco, a palavra sábia sem cultura letrada, o olhar meigo e conhecedor dos perigos naturais, humanos e dos afectos. Estou a regressar ao paraíso uma vez mais, mas desta vez em pensamento, pelas memórias e pelas lembranças, pela imensa aprendizagem de que beneficiei, pela possibilidade que me foi permitida de crescer através de uma experiência de vida única, memorável, inesquecível.

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...