quinta-feira, 24 de março de 2005

Arrumações

Hoje é dia de arrumações. Uma tarefa cansativa, mas necessária, de selecção de documentos, reorganização de dossiers, definição de prioridades e sistematização temática. A arrumação tem uma parte absolutamente fantástica, quando após a selecção começamos a rasgar papeis que já não nos fazem falta e encontramos sempre qualquer coisa que julgávamos ter perdido: uma fotografia, um texto ou um pensamento, uma frase que alguém nos escreveu ou até uma carta. E depois, olhamos para as prateleiras e os livros e as pastas estão direitos, arranjados, prontos a desarrumar outra vez, catalogados com o tema, o país e a data. Nas minhas prateleiras predominam os dossiers de São Tomé e da Guiné, os temas ambientais, do turismo e do desenvolvimento participativo. Depois há os outros, das aulas e dos projectos: Desenvolvimento, Migrações, Crianças em Risco, Estados Insulares, Animação Sociocultural, Lazer.
Mas se é bom arrumarmos e darmos uma ordem aos papeis e à vida, também há a parte menos simpática: o meu nariz é muito complicado, bem mais do que eu. Detesta pó e não suporta os produtos de limpeza, mesmo que sejam anti-alergénicos, por isso, desde o momento em que decido pôr mãos à obra, espirra incessantemente.

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...