terça-feira, 22 de fevereiro de 2005

Na minha vida

Na minha vida e nas minhas passagens por África agradeço:
1. Aos meus verdadeiros amigos (onde se destaca a minha família), que estão presentes sempre que deles preciso, com os quais tenho prazer em estar e que sei que, independentemente do que fizer ou do que acontecer, estão ali prontos para me ouvir, secar as lágrimas que os meus olhos deixem escapar e rir em conjunto de tudo e de nada;
2. Aos meus amigos contextuais, que é sempre bom rever, com quem passei momentos de alegria, de dúvida e de tristeza, na procura de uma relação mais forte e que tem vindo a crescer e a sedimentar-se;
3. Aos meus conhecidos prazeirosos, com os quais é bom trocar duas ou três palavras e um sorriso, partilhar o tempo de um café, um jantar de quando em vez, mas que o tempo e as contingências da vida não permitiram que a amizade fosse construída;
4. Aos meus conhecidos, com os quais não tenho empatia nem antipatia;
Mas principalmente:
5. Aos meus "não amigos", por me terem permitido crescer, melhorando-me a mim mesma na tentativa de ser diferente deles, recusando a mesquinhez e a pobreza de espírito que os caracteriza;
6. Aos equívocos que, com o tempo, me ensinaram a distinguir o verdadeiro do falso, o amigo verdadeiro e leal do dissimulado e enganador, a prioridade do supérfluo. Estes foram os que na realidade me enganaram porque, em algum momento, confiei na bondade aparente, na simpatia forjada, na simplicidade demonstrada, na confiança facilmente oferecida. Estes foram os que, da pior forma, me ensinaram mais, aqueles que jamais me voltarão a enganar e, de todos, os que ignoro e sobre os quais não quero nunca mais ouvir falar. Apesar de tudo, são os que insistem em se manter nas proximidades da minha vida, tentando prejudicar. Dá vontade de lhes dizer - desistam porque já não conseguem - mas nem vale a pena, um dia hão-de cansar-se!!!!

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...