quinta-feira, 17 de fevereiro de 2005

Atropelo Emocional

Como se pode definir um homem que:
1. pede a namorada em casamento, cheio de certezas, após uma fase conturbada de avanços, recuos e indecisões,
2. define planos para mobilarem em conjunto uma casa, combinam datas e fazem projectos para o futuro próximo,
3. passados dois meses de tudo ficar combinado, ele escreve-lhe dizendo que ela é tudo para ele – a mais terna das companheiras, a mais atenciosa das amigas e confidentes e a melhor das amantes – mas trocou-a porque, como qualquer homem, não consegue resistir a um bom par de pernas e mais alguns atributos complementares,pede-lhe que o esqueça, ficando tudo arrumado, via mail.
A esta simplicidade poder-se-ia dar o nome de “atropelo emocional”. Ela ficou destroçada, e assim continua, só chora e ameaça matar-se. Mas afinal, ainda haverá homens que mereçam tamanha abnegação depois de tal desfaçatez? Pois eu não creio que haja!

A escrita e os artefactos

Para quem gosta de escrever uma caneta é a extensão de si próprio e um caderno o seu reflexo. São objectos especiais e, por isso, tratados ...